Notícias

Eletrônica e Informática

27/10/2017 - IPESI INFORMA

Internet a bordo chega finalmente aos trajetos domésticos



Hoje obrigados em vários trajetos nacionais a pagar pela bagagem despachada e, em alguns casos, também pela refeição a bordo, os passageiros brasileiros podem, pelo menos, se consolar com o aumento da oferta de meios de entretenimento nas aeronaves. Duas grandes companhias, a Gol e a Avianca Brasil, já estão disponibilizando para os passageiros o acesso irrestrito à internet durante os voos, e o que é melhor - por enquanto, sem cobrar pelo serviço, tido ainda como experimental.

A oferta de wi-fi em aviões já é bem comum em companhias internacionais e está se ampliando nas companhias brasileiras gradativamente. Pioneira no Brasil na implantação de internet a bordo, a Gol comemorou no último mês de outubro um ano do lançamento da plataforma Gol Online, e a Avianca tem avançado com igual rapidez.

Na verdade, o Brasil não poderia ficar fora disso por muito mais tempo. O entretenimento dentro da cabine vem mudando com a velocidade da tecnologia e não era mais possível ignorar que boa parte das companhias do mundo já oferece filmes, séries, canais de TV e programação infantil em formato digital, seja no celular, no tablet ou no computador - e não só na clássica telinha à frente ou mesmo na tela coletiva. Trata-se de uma tendência mundial.

No caso da companhia Gol, o serviço viabiliza a conexão na internet via satélite e já está presente em 60 aeronaves, metade da frota da companhia. Em seu um ano de operação, já proporcionou mais de 250 mil acessos, com uma média de mais de 5 mil visitas diárias ao portal. A ideia da empresa é de possibilitar aos passageiros permanecerem conectados durante todo o período de voo, atendendo as mais diferentes necessidades.

De fato, a plataforma é bastante flexível e satisfaz desde aqueles que querem apenas enviar mensagens até os que desejam acessar as redes sociais, checar e-mails ou ver um filme para relaxar. O sistema Gol Online oferece um vasto catálogo gratuito de entretenimento a bordo, contendo séries, filmes e desenhos, além de mapas de voo.

De acordo com a companhia, a tecnologia via satélite permite o acesso em rigorosamente todos os voos, a partir do fechamento das portas da aeronave e até a reabertura na chegada ao destino. O acesso pode ser feito pelo próprio dispositivo móvel do cliente, seja ele celular, tablet ou notebook. Para carregar os equipamentos, estão sendo instaladas tomadas de recarga USB, localizadas abaixo das poltronas.

Os aviões com o serviço disponível estão identificados com o selo "Gol Online" tanto na entrada da aeronave como internamente. Nas bolsas atrás das poltronas, há cartões explicando, passo a passo, como utilizar o sistema, e a tripulação também está à disposição para esclarecimentos de dúvidas.

A previsão é de que, até o final de 2018, toda a frota da empresa já esteja equipada com o sistema Gol Online. Esse escalonamento é necessário por motivos técnicos. A instalação da antena, posicionada na parte superior da aeronave, tem de ser realizada no Centro de Manutenção da companhia, localizado em Confins, Minas Gerais, e exige a participação de cerca de 90 técnicos na tarefa, embora o processo já tenha sido aperfeiçoado e o tempo médio de instalação caído pela metade, ficando hoje em quatro dias para a execução de todas as etapas de implantação.

A Avianca também está instalando a tecnologia paulatinamente, mas com a intenção de completar o serviço em toda a frota ainda até o final deste ano. O serviço é bastante similar ao sistema Gol Online, tendo sido desenvolvido em parceria com a Global Eagle Entertainment (GEE), empresa mundial de conteúdo e conectividade. Já a aérea Gol teve o apoio da empresa americana Gogo, especializada em soluções de banda larga para aviação, e que foi responsável pela instalação da antena na primeira aeronave, em Miami, nos Estados Unidos.

Para poder contar com internet a bordo, as duas companhias precisaram da autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O serviço também teve de receber a homologação da FAA - Administração Federal de Aviação, na sigla em inglês - entidade americana de regulamentação da aviação civil de alcance internacional.

Para os passageiros das duas empresas, a má notícia é que o cliente só saberá depois da compra da passagem se o avião em que irá embarcar dispõe do serviço - visto que este ainda não foi implantado em todas as aeronaves e elas costumam atender rotas variadas. Por tanto, é preciso um pouco de sorte.

Naturalmente, os passageiros também devem se precaver ao utilizar a internet durante o voo, já que estará conectado a uma rede aberta, com todos os riscos implícitos de qualquer wi-fi público. Para evitar possíveis problemas com os hackers, o ideal é acessar tudo pelos aplicativos e evitar o navegador, assim como fazer compras online. Cuidados devem também ser tomados com os conteúdos que se deseja acessar. (Alberto Mawakdiye)

Comente essa notícia