Notícias

Eletrônica e Informática

07/11/2017 - IPESI INFORMA

Reciclus atua como gestora de processo de logística de reversa de lâmpadas fluorescentes

O uso de lâmpadas fluorescentes tem vantagens, porém, quando chega o momento de seu descarte, surge risco. Isso porque há materiais na composição da lâmpada, sobretudo o mercúrio, que podem causar danos ao meio ambiente. Foi por isso que surgiu a Reciclus, associação sem fins lucrativos de produtores e importadores de lâmpadas fluorescentes, que atua como gestora do processo de logística reversa, dando a destinação correta às lâmpadas, assim evitando danos ao meio ambiente.

A Reciclus surgiu para gerir todo o processo de logística reversa, com um modelo de operação autossustentável que permita evitar os riscos do descarte indevido de lâmpadas queimadas ou quebradas. Participam do programa apenas as lâmpadas de uso doméstico dos tipos fluorescentes compactas e tubulares; de vapor de mercúrio, sódio ou metálico e luz mista. "Os problemas ambientais de se misturar essas lâmpadas ao lixo comum são enormes, pois elas possuem componentes que demandam um fluxo específico na coleta e destinação final", explica Willian Vagner Gutierrez, gerente de Operações da Reciclus.

Como gestora do processo, a Reciclus contrata empresas especializadas que separam os componentes sob circunstâncias especiais para que não haja a contaminação do ambiente e das pessoas que operam os equipamentos. Uma vez separados, é possível utilizar os resíduos na fabricação de vários outros produtos. Vidros, por exemplo, são utilizados na fabricação de novos vidros de uso não alimentar, assim como pinos de latão podem ser fundidos e utilizados para produção de novos materiais. Até o pó fosfórico, uma vez livre do mercúrio, pode ser reutilizado em fábricas de cimento ou asfalto.

O projeto demonstra a necessidade de difundir a importância da logística reversa entre as pessoas, porque o consumidor é um elo essencial para o sucesso da iniciativa. "A responsabilidade é muito maior do que coletar e descartar. É preciso ter pessoal treinado, ampliar a prospecção, adquirir novos parceiros, realizar positivação de coletores nos pontos de venda e merchandising. E é justamente para auxiliá-los nessa expansão, que nós fomos chamados", conta Thiago Rubinelli, gerente Comercial e Marketing da Red Lemon, agência que atua integrando planejamento estratégico, inteligência de negócio, capacidade operacional e criatividade. "Nosso propósito é dar uma voz que alcance mais longe e com maior intensidade os alvos da Reciclus. Essa não é apenas uma questão de ampliar a operação do cliente, e sim de levar consciência ambiental de forma mais intensa e certeira ao cidadão, até o ponto onde o trabalho realizado pela associação seja tão natural quanto a necessidade do uso de uma lâmpada fluorescente", garante Rubinelli.

A agência ficará responsável por garantir que o coletor esteja no local certo, que todos os funcionários estejam treinados sobre o projeto Reciclus e que os MPDV (materiais de ponto de venda) estejam positivados corretamente. "Há uma preocupação real com a questão ambiental, o que faz parte da visão da Red Lemon. Além disso, é de responsabilidade nossa o treinamento não só dos funcionários que farão a positivação e que fazem parte do projeto, mas também os funcionários dos pontos de venda. Quando um parceiro solicita a entrega do coletor, além de positivar, a Red Lemon explica como funciona todo o projeto e trabalho ambiental da Reciclus, permitindo que a mensagem do projeto tenha maior impacto nas pessoas envolvidas", finaliza.

Comente essa notícia