Notícias

Eletrônica e Informática

02/03/2018 - IPESI INFORMA

Uso do pregão eletrônico faz concessionárias de veículos lucrarem mais




O chamado "pregão eletrônico" está facilitando a vida de quem comercializa veículos usados e seminovos - e aumentando exponencialmente os seus lucros. 

Ainda uma novidade no setor - mas já amplamente utilizada pelo poder público em seus leilões e processos de licitação e por leiloeiros privados das mais diferentes áreas -, essa ferramenta de comercialização foi responsável, sozinha, por um lucro da ordem de R$ 2 bilhões para as concessionárias em 2017, crescimento de cinco vezes na comparação com o ano anterior, quando os resultados da modalidade atingiram cerca de R$ 412 milhões.

Trata-se de uma ocupação e tanto de espaços. Tomado em seu conjunto, o comércio eletrônico de usados e seminovos no Brasil movimentou cerca de R$ 20 bilhões em 2017, volume mais de quatro vezes maior em relação ao exercício anterior, que registrou um volume de vendas de R$ 4,8 bilhões. Ou seja, 10% já foram movimentados via pregão.

Sem dúvida, este crescimento foi facilitado pelo salto nas vendas de veículos usados no Brasil em 2017, de 6,5% na comparação com 2016, de acordo com dados da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto).

O valor unitário dos automóveis comercializados também aumentou. Pioneira na oferta deste serviço, a startup AutoAvaliar, de Campinas (SP), calcula, com base nas transações realizadas entre 2,5 mil concessionárias e 20 mil lojistas multimarcas do país entre janeiro e dezembro de 2017, que o valor médio das transações eletrônicas foi de cerca de R$ 26 mil por veículo, diante dos R$ 25 mil verificados em 2016.

A logística mais integrada implícita neste sistema foi igualmente um fator determinante para o aumento das receitas. Além do pregão online propriamente dito, também integraram o lucro das concessionárias o uso da bem elaborada plataforma de gestão de vendas e estoques da AutoAvaliar, assim como da metodologia de avaliação e cotação de veículos desenvolvida pela empresa.
"De fato, a nossa plataforma permite uma gestão mais eficiente e um controle mais efetivo de toda a operação de repasse dos veículos das concessionárias para as lojas", diz Daniel Nino, sócio-diretor da AutoAvaliar. "Isso influi muito positivamente na rentabilidade".

De acordo com Nino, os pregões, por serem "abertos", também garantem mais agilidade e transparência nas negociações, pois, assim, ajudam a eliminar o tradicional "vendedor invisível" ou "rede". Torna-se, dessa forma, outro fator de lucratividade para as empresas envolvidas, favorecendo também, diretamente, o consumidor final.

PLATAFORMA B2B - Fundada em 2015, a AutoAvaliar é uma plataforma B2B que integra revendedores independentes e concessionárias de veículos, oferecendo um sistema completo de gestão de estoque de seminovos. A plataforma conta também com uma ferramenta de avaliação de veículos e um pregão on-line. O sucesso do empreendimento é invejável: nada menos do que 20 mil lojistas e 1,7 mil concessionárias já se encontram cadastradas na plataforma.

O projeto, que levou um ano e meio para ser estruturado, recebeu investimentos de R$ 1 milhão nesta fase de desenvolvimento, recursos advindos dos próprios sócios. A ideia surgiu da constatação de que o mercado de seminovos necessitava de uma ferramenta que tornasse mais ágil e racional o comércio B2B, além de melhor controlado no seu fluxo.

De fato, muitos dos veículos seminovos e usados que entram nas concessionárias são repassados para revendas multimarcas quase sempre sem nenhum controle para quem e como está sendo oferecido. Da parte dos lojistas, também vigorava certa insegurança sobre o estado real do veículo e sobre a sua procedência, o que se refletia na relação com as concessionárias e com os consumidores.

O mecanismo de comercialização da AutoAvaliar é para lá de simples e prático, além de transparente: a concessionária anuncia o veículo que deseja vender, as revendas multimarcas escolhem os veículos que lhe interessam e fazem a sua avaliação. A melhor avaliação fica com o veículo. A AutoAvaliar ganha uma comissão da loja por cada veículo por ela adquirido, e uma mensalidade das concessionárias pelo serviço de anúncio.

A startup de Campinas quer agora conquistar a Europa, usando a mesma lógica comercial aplicada no Brasil. No ano passado, a empresa lançou uma nova plataforma no "World Shopper Iberian", um dos maiores eventos automobilísticos do mundo. Renomeado como AutoAction, o sistema funciona atualmente como um projeto-piloto, mas com previsão para ingressar em breve no mercado de Portugal.

Segundo Daniel Dino, Portugal pode ser a porta de entrada para outros mercados no continente, como, por exemplo, a Espanha. "O grande desafio é entender as particularidades locais, desde a legislação até como funcionam as taxas do país", afirma. A AutoAvaliar acredita que poderá atingir uma participação de 10% no mercado de Portugal em apenas 12 meses de operação. (Alberto Mawakdiye)

Comente essa notícia