Notícias

Metal Mecânica

03/04/2018 - IPESI INFORMA

Pollux lança serviços de logística 4.0 para a indústria

A Pollux, empresa de tecnologia industrial, oferece um conjunto de soluções associando o uso de tecnologias contidas na Internet Industrial (IIoT), como softwares, sensores, robótica colaborativa e análise de dados avançada com as melhores práticas de gestão.

"No conceito de indústria 4.0 existem várias áreas de negócios e uma que se destaca é a gestão dos inventários. O grande desafio das empresas é conseguir, por meio da tecnologia, balancear de forma eficaz seu estoque evitando excessos e faltas de materiais resultando em paradas de linha ou investimentos desnecessários. Pensando nisso, desenvolvemos uma solução para automatizar o abastecimento de linhas unindo IIoT, algoritmos inteligentes e robótica colaborativa", comenta o diretor de desenvolvimento de negócios da Pollux, Ricardo Gonçalves.

O processo de digitalização do chão de fábrica ocorre com a inclusão de sensores acoplados aos maquinários, transportadores internos e prateleiras, que coletam as informações de consumo dos itens na linha e as transmitem em tempo real para uma central de monitoramento que, através de algoritmos de ressuprimento, define o insumo que está faltando e em qual linha. Então, os itens são selecionados e colocados em um robô colaborativo móvel conectado (novo tipo de AGV), que entrega os insumos na linha correspondente, na qual outro robô, que também pode trabalhar lado a lado de pessoas, efetua automaticamente o abastecimento dos itens.

A logística 4.0 assegura um balanceamento eficaz dos insumos, tornando o processo mais rápido, preciso, preditivo e seguro, além de alimentar o Bloco K com informações de estoque mais acuradas. "Desenvolvemos essa solução para atender também uma importante demanda de nossos clientes: a pontuação necessária para conquistar a certificação WCM (World Class Manufacturing), um selo que posiciona a indústria no topo do funil das empresas com o mais alto nível de tecnologia, tornando-as altamente competitivas frente ao mercado global", comenta Ricardo. "Fábricas digitais são mais econômicas, ágeis e produtivas. Automatizar o processo de logística de abastecimento reduz em até 30% os níveis médios de inventário, ao mesmo tempo que aumenta a disponibilidade dos itens", finaliza o executivo.

Comente essa notícia