Notícias

Eletrônica e Informática

06/09/2018 - IPESI INFORMA

Apresentado na IoT Latin America, ArcoLora é baseado em componentes da Microchip



A Arco desenvolveu o sistema para controle de alarme e supervisão ArcoLora, destinado à aplicação em hotéis, hospitais, casas de repouso, shopping centers e para atender pessoa com deficiência (PcD). O sistema foi apresentado na IoT Latin America 2018, feira internacional da Internet das Coisas, realizada nos dias 29 e 30 de agosto, no Transamérica Expo Center, em São Paulo (SP), no estande da Artimar, que representa a Microchip.

A exposição do sistema no estande da Artimar é justificada. Cerca de 80% do valor da placa eletrônica é representada por componentes produzidos pela Microchip. Entre os diversos componentes da marca aplicados no ArcoLoRa estão os microcontroladores PIC 32 e PIC 24, memória E2PROM, módulo Wi-Fi, módulo LoRa, controlador Ethernet, carregador de bateria e memória Flash.

O sistema é composto de botão de emergência, módulo de alarme, central de monitoramento e gateway (antena). De fácil instalação, é wireless, não exigindo obras de infraestrutura. "Já temos um primeiro projeto de venda para Shopping Center Leblon, no Rio de Janeiro", afirma Rodrigo Pucci, gerente de Produtos da Arco. "São 20 pontos de controle em sanitários para pessoas com deficiência", complementa. A instalação começa nesse mês de setembro.

De acordo com Pucci há muitos interessados no sistema, incluindo o Centro Paralímpico Brasileiro, em São Paulo (SP). Lá são 478 pontos de controle para o hotel e centro esportivo.

IoT - Newton Gomes Valente,  IoT Business Developer da Artimar, afirma que o mercado brasileiro de Internet da Coisas cresce significativamente em desenvolvimento de novas tecnologias, principalmente as tecnologias de LP WAN (low-power wide-area network), como é o caso da tecnologia LoRa. "São redes de longo alcance, até dezenas de quilômetros, com baixo consumo de energia em que uma pilha de 1,5V poderia durar até cinco anos", comenta.

De acordo com Valente, são várias verticais com enorme potencial de mercado no Brasil. Conforme estima sua empresa, no segmento de monitoração ambiental e industrial (incluindo monitoramento de incêndios, poluição, temperatura etc.) o potencial é de 180 milhões de dispositivos. Já no segmento de tracking (rastreamento) são 200 milhões de dispositivos potenciais; para medição (de energia, gás, água e outros) são 350 milhões; agribusiness (agricultura e pecuária), 450 milhões; smart cities, 280 milhões; e segurança, 150 milhões. "Temos condições de atender todas essas verticais no Brasil por meio da Artimar/Microchip", afirma.

FEIRA - A IoT Latin America 2018, feira internacional da Internet das Coisas, mostrou que a IoT desempenhará papel cada vez mais relevante nos negócios e na vida das pessoas.

A feira é o mais importante evento B2B exclusivamente voltado ao setor e com foco na geração de negócios na América Latina e promove, simultaneamente, o 3° Congresso Brasileiro e Latino- Americano de Internet das Coisas (IoT), organizado pelo Fórum Brasileiro de Internet das Coisas. Além da exposição, a IoT Latin America apresentou em seu Multipalco de Verticais discussões sobre casos abrangendo todo o ecossistema de Internet das Coisas em diversas verticais.

Os expositores se mostraram bastante satisfeitos com o evento. Para Mauro Salomão, gerente de Marketing e Desenvolvimento de Negócios para a América Latina e Canadá da Mouser Electronics, o público foi dinâmico e a indústria tem empurrado o desenvolvimento do Brasil e procurado trazer novas tecnologias, inclusive IoT. "O BNDES lançou um projeto da IoT que vai ter um investimento de 231 bilhões de dólares até 2030. O cenário é otimista e pode levar a grandes realizações, mas vai depender também do resultado das eleições este ano", ressalta.

Na opinião de Huéliquis Fernandes Sales, da Renesas, que participou pela terceira vez da IoT Latin America, a feira surpreendeu. "Tivemos um fluxo bem grande de pessoas em nosso estande. Foi muito bom, deu a chance de mostrar várias soluções que a Renesas apresenta pra área de IoT."

Francisco Cavalcanti, CEO da WND, comemora o sucesso da empresa e as perspectivas positivas para o país. "Tivemos um avanço tremendo em um ano, estamos em todas as capitais do Brasil. O ramo de utilities - energia, água - deu um grande salto. A feira foi muito boa, cresce ano a ano cada vez mais, tem mercado para todo mundo. O Brasil está avançando, com o apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia e da Anatel, que têm focado muito em IoT. Tem havido financiamento do BNDES e do Finep para startups nessa área. É impressionante como temos avançado", comemora o executivo.  (foto/divulgação)

Comente essa notícia