Notícias

Metal Mecânica

05/10/2018 - IPESI INFORMA

Motores lineares podem substituir servomotores nas máquinas

Em grande parte das máquinas, a transmissão de movimento é feita usando transmissão mecânica com servomotores, que transformam o movimento rotacional em linear. Os servomotores são bastante eficazes, mas geram alguns desgastes em peças e, em alguns casos, pode ser substituído pelo motor linear para gerar maior simplicidade e trazer mais resultados.

"Isso é possível porque esse motor não necessita de transmissão mecânica, visto que seu movimento já é linear. Com isso, é possível obter uma estrutura mais compacta - sem transmissões e acoplamentos mecânicos de montagem - e ganhos significativo em termos de cinemática e dinâmica. Além disso, não possui erros de reversões mecânicas em seu movimento", explica Eduardo Miller, engenheiro de aplicação da Mitsubishi Electric.

De acordo com Miller, esse tipo de solução pode ser aplicado em máquinas de alto desempenho que exigem altas acelerações/desacelerações, altas velocidades e alta precisão.

"Mesmo tendo um investimento maior do que as soluções tradicionais, os benefícios geralmente compensam para aplicações em máquinas High Speed e High Accuracy", destaca.

Porém, a adoção do motor exige cuidados. Mesmo com um número significativo de vantagens, esse tipo de aplicação não é recomendado para todas as máquinas. "As aplicações de motores lineares não são recomendadas em máquinas-ferramenta de porte grande, visto que as mesmas possuem alta inércia nos eixos e a rigidez dinâmica dos motores lineares é baixa, podendo gerar vibrações e ressonâncias na máquina", adverte Miller.

Entre as vantagens de se usar o motor linear, destacam-se:

1- Conceito "built-in": O motor é integrado (solidário) com a mecânica, sem a necessidade de transmissão mecânica para gerar movimento linear, simplificando a sua construção mecânica;

2- Altas acelerações/desacelerações dos eixos;

3- Altas velocidades;

4- Movimentos com suavidade;

5-Melhora na precisão;

6-Melhora na repetibilidade.

Comente essa notícia