Notícias

Metal Mecânica

09/10/2018 - IPESI INFORMA

DF está usando impressoras 3D da Stratasys em sua área de saneamento

A Caesb, empresa de saneamento do Distrito Federal, está utilizando uma solução de impressão 3D da Stratasys para produzir diretamente itens de utilização própria, obtendo redução de custos, de tempo e maior facilidade no atendimento às suas demandas por peças e moldes. Para adotar a tecnologia de impressão 3D, a Caesb investiu R$ 368 mil no projeto.

"As motivações principais foram aumentar o rol e a qualidade de peças produzidas pela área de fundição, diminuir custos e prazos, e também permitir a confecção de peças mais complexas", afirma o engenheiro Eduardo Burgos, da Gerência de Oficinas e Industrialização da Caesb.

A impressora 3D escolhida foi a Stratasys F370, indicada para a fabricação de itens duráveis de alta complexidade e para prototipagem. O equipamento é capaz de utilizar até quatro tipos diferentes de materiais. Na Caesb, são usados mais comumente ABS, PC-ABS e ASA.

Uma das principais aplicações da impressão 3D pela empresa é a fabricação de modelos para confecção de moldes em areia para a fundição de peças em metais utilizadas em tubulações industriais. Anteriormente, a manufatura deste tipo de item exigia o emprego de processos como caldeiraria, usinagem e ferramentas variadas, a exemplo de furadeiras e tornos.

"A impressão 3D diminuiu o número de departamentos da empresa necessários para a execução de um projeto. O tempo médio de produção de um modelo caiu de dois dias para 12 horas", explica Burgos. "Também obtivemos economia dos materiais envolvidos. Outra vantagem é que, agora, fazemos o modelo de plástico, e não de ferro, o que diminui o peso dos modelos manuseados pelos funcionários envolvidos na operação", comenta ele.

O sucesso do uso da impressora 3D na produção de modelos de moldes levou a Caesb a utilizar a impressora 3D Stratasys F370 também para fabricação de peças de uso final para equipamentos de alta complexidade, o que não era possível quando havia apenas métodos convencionais disponíveis. Um desses equipamentos é uma miniturbina dosadora de produtos químicos, utilizada para tratamento de água.

"No mercado, este equipamento é encontrado por valores médios de R$ 2.800. Para fabricarmos este item por impressão 3D, gastamos apenas cerca de R$ 30 com os materiais. Além disso, pudemos imprimir as peças do equipamento já com as especificidades requeridas para a nossa operação, o que encurtou o prazo para o início do seu funcionamento", explica Burgos.

"É muito gratificante para nós ver comprovados os benefícios da adoção da manufatura aditiva para uma empresa como a Caesb que, além de atuar na área ambiental, trabalha com aplicações diferenciadas como moldes para fundição e equipamentos de alta complexidade. Casos como esse desmistificam a tecnologia e comprovam que ela pode ter aplicações reais e eficientes para os mais diversos segmentos", comemora Anderson Soares, Territory Manager da Stratasys para o Brasil.

Para o futuro próximo, os planos da Caesb incluem a utilização da impressora 3D em ações de engenharia reversa e na produção de "modelos de sacrifício", peças com características técnicas de alta complexidade. "O uso da impressão 3D para a criação de moldes de sacrifício ainda pouco explorado, e, portanto, buscaremos inovar esse processo", conclui Burgos.

Todo o projeto, estudos, consultoria técnica e de negócios até a aquisição, foi realizado em conjunto com a Techma Tecnologia em Impressão 3D, revenda autorizada Stratasys no Brasil.

Comente essa notícia