Notícias

Eletrônica e Informática

11/12/2018 - IPESI INFORMA

Marcas chinesas de celulares conquistam mais espaço no mercado global

No terceiro trimestre de 2018 (3T18), as vendas de celulares inteligentes para usuários finais cresceram 1,4%, atingindo 389 milhões de unidades comercializadas. As marcas chinesas Huawei e Xiaomi foram as principais responsáveis por impulsionar as vendas globais de smartphones, de acordo com o Gartner, Inc .

"Se tivéssemos retirado a Huawei e a Xiaomi da lista global de fabricantes de smartphones, as vendas de dispositivos móveis para usuários finais teriam declinado 5,2%", afirma Anshul Gupta, diretor de Pesquisa do Gartner. "Liderados por aparelhos de baixo preço, recursos de câmera aprimorados e telas de alta qualidade de resolução, os principais fabricantes chineses de telefones celulares aumentaram suas vendas nos mercados emergentes durante o terceiro trimestre desse ano", explica.

Enquanto as vendas de smartphones estão desacelerando para a maioria dos fabricantes de celulares, a Huawei viu a demanda por seus equipamentos crescer 43% no terceiro trimestre de 2018. A companhia continua sendo o fornecedor de celulares número 1 na China e está entre os três principais mercados europeus. "A diferença entre a Samsung e a Huawei continua encolhendo, com os chineses expandindo agressivamente seu espaço, investindo em branding e distribuição nos mercados emergentes do Oriente Médio, Ásia/Pacífico e África", diz o analista. "A Huawei está posicionando seus smartphones da série Honor, com preços mais acessíveis, para impulsionar a mudança de perfil de vendas, trocando os feature phones para smartphones, nesses mercados".

No terceiro trimestre de 2018, a Samsung experimentou seu maior declínio desde que o Gartner vem monitorando as vendas de smartphones em todo o mundo. As vendas de celulares inteligentes Samsung caíram 14% no período. Por isso, apesar de o Galaxy S9, S9 + e Note 9 da Samsung apresentarem bons números e terem ajudando a gerar demandas em 2018, os smartphones midtier e de entrada ainda continuam a enfrentar a concorrência das principais marcas chinesas, que aumentaram sua participação em mercados importantes, como a Índia e a região da Ásia/Pacífico.

O desempenho da Apple, por sua vez, ficou estável no terceiro trimestre de 2018 (crescimento de 0,7%). "Os iPhones da Apple estão enfrentando um mercado saturado de smartphones premium, com taxas de crescimento mais baixas e aumento da concorrência na China", diz Gupta. "Os novos smartphones topo de linha da Apple, anunciados em setembro, serão fundamentais para definir as vendas totais da unidade de iPhone da Apple em 2018. Analises iniciais sugerem que a versão Xs Max está superando o modelo Xs, com o Xs Max representando um importante acréscimo para o mercado chinês, onde a Apple vem perdendo participação".

TENDÊNCIAS - Com as vendas globais de smartphones desacelerando significativamente, a atenção dos fabricantes de telefones celulares está migrando para novas tecnologias, como 5G e o formato dobrável, para diferenciar a experiência do usuário em smartphones capazes de gerar novo valor para os clientes.

"Ainda que 2019 deva realmente marcar um ano importante para as ações de pesquisa e desenvolvimento (P&D), com o avanço de novas tecnologias, é improvável que os recursos 5G, por exemplo, sejam vistos em um volume significativo de dispositivos móveis antes de 2020", diz Roberta Cozza, diretora de Pesquisa do Gartner. "Esperamos que as vendas de celulares 5G totalizem 65 milhões de unidades em 2020", afirma.

Além disso, vários fornecedores, como Samsung, Huawei e LG, deverão lançar novos formatos dobráveis no próximo ano. "Embora haja o interesse inicial, esses dispositivos serão caros e, inicialmente, com compensações de usabilidade", diz Cozza. "Levará tempo para os fornecedores criarem um forte ecossistema de software e fazer com que os desenvolvedores criem experiências de usuário atraentes e inovadoras em torno de smartphones dobráveis."

Comente essa notícia