Notícias

Metal Mecânica

19/12/2018 - IPESI INFORMA

Indústria de máquinas-ferramenta da Itália cresce mais de 13% em 2018

O ano de 2018 foi de recordes para a indústria italiana de máquinas-ferramenta, robôs e sistemas de automação, que registrou crescimento de dois dígitos para todos os indicadores econômicos. O ano de 2019, todavia, será caracterizado por uma estabilidade generalizada. Esse é o resumo do que disse Massimo Carboniero, presidente da Ucimu-Sistemi Per Produrre, que representa a indústria setorial na Itália, durante coletiva de imprensa do final do ano.

Segundo dados preliminares da Ucimu, a produção setorial em 2018 aumentou para 6.900 milhões de euros, refletindo um crescimento de 13,4% em relação a 2017. É o quinto ano de crescimento consecutivo e, em termos de valores absolutos, é um no recorde da indústria.

O resultado reflete o excelente desempenho da indústria italiana tanto no mercado doméstico, que cresceu 21,1% para 3.270 milhões de euros, como nas exportações que cresceram 7,2% para 3.630 milhões de euros.

De acordo com dados processados pela Ucimu, nos primeiros oito meses de 2018 (a mais recente pesquisa disponível), os principais destinos de exportação dos produtos de fabricação italiana foram Alemanha, 246 milhões de euros (+11,6%); China, 237 milhões de euros (+7,1%); Estados Unidos, 223 milhões de euros (+9,5%); Polônia, 143 milhões de euros (+49,8%); e França, 135 milhões de euros (-4,6%).

O consumo doméstico italiano de máquinas-ferramenta, robôs e automação cresceu 25,9% em 2018, para 5.620 milhões de euros. A propensão dos usuários italianos em investir em novas tecnologias e também em produtos digitais fez com que os fabricantes italianos focassem no mercado interno, como mostra a redução da proporção exportação/produção, que caiu de 55,6% em 2017 para 52,6% em 2018.

Enfrentando um ambiente geral não favorável em 2019, a indústria setorial italiana deve confirmar seu desempenho de 2018, experimentando uma tendência positiva no que se refere às entregas, que tendem a crescer, nos mercados externos. No mercado doméstico há uma clara tendência de desaceleração.

Em 2019, a produção deve crescer para 7.040 milhões de euros (+2%) impulsionada principalmente pelas exportações. A expectativa é que as vendas externas cresçam 5% chegando a 3.810 milhões de euros.

O consumo doméstico deve se manter praticamente estável em 5.630 milhões euros (+0,2%). A situação deverá afetar tanto as entregas dos fabricantes italianos, que verão suas receitas caírem para 3.230 milhões de euros (-1,2%) como as importações que deverão ficar em 2.400 milhões de euros (+2,1%). A proporção exportação/produção vai ganhar um ponto percentual, chegando a 54,1%.

"Estamos satisfeitos com os resultados de 2018: o ano está fechando com excelentes resultados obtidos tanto na Itália como no exterior. Mais ainda, considerando as vendas como um todo, isto é, não apenas de máquinas, mas também peças, ferramentas e comandos numéricos computadorizados, que não são incluídos no total de máquinas-ferramenta, podemos dizer que o faturamento supera os 9 bilhões de euros", afirma Carboniero.

Comente essa notícia