Metal Mecânica

Abal lança anuário que faz radiografia da indústria do alumínio

A Associação Brasileira do Alumínio (Abal) está lançando o seu tradicional Anuário Estatístico, que cobre o desempenho da indústria do alumínio ao longo de 2018. Com mais de 80 páginas, a publicação abrange os setores de extração e refino da bauxita, e a industrialização do metal. Estão compilados dados sobre o perfil da indústria do alumínio, além de detalhes de produção, consumo, importação e exportação do mercado nacional.

O anuário cobre também o mercado internacional, situando o Brasil dentro do panorama mundial do alumínio, apresentando a movimentação do metal em termos de produção, consumo, renda per capita, estoque e preços.

Um capítulo especial é dedicado à sustentabilidade, item no qual o Brasil é sempre destaque em razão dos altos índices de reciclagem do alumínio: somos os campeões mundiais no reaproveitamento de latas do metal para bebidas, com um índice de mais de 97%; e bem acima da média mundial na relação entre sucata recuperada e consumo doméstico. Nesse quesito, o índice nacional chega a 54,1%, contra a média mundial de 27,8%.

Os dados do anuário são editados pelo Departamento de Mercado e Competitividade da Abal, a partir de informações oriundas de dezenas de fontes, entre elas os associados, o Ministério da Economia e sua Secretaria Especial de Indústria, Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, e a The Aluminium Association. “O anuário é um trabalho de fôlego e uma referência para os agentes da economia e da imprensa, pois se trata de uma fonte de informações segura e precisa sobre a indústria do alumínio”, assegura Milton Rego, presidente-executivo da Abal.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados