Eletrônica e Informática

Elgin investe R$ 5 milhões na instalação de células fotovoltaicas na fábrica de Mogi das Cruzes

A Elgin S/A investiu aproximadamente R$ 5 milhões para a instalação de células fotovoltaicas em sua fábrica instalada na cidade de Mogi das Cruzes (SP). A empresa projeta economizar entre 40% e 44% da energia elétrica contratada da concessionária EDP. A intenção da companhia também é que o sistema sirva de case para clientes em potencial.

Com 1.200 funcionários, essa fábrica é a primeira da Elgin, inaugurada em 1952, para a produção de máquinas de costura. Atualmente, a unidade produz sistemas de refrigeração comercial e industrial, além de abrigar um centro de distribuição de equipamentos de ar-condicionado e sistemas fotovoltaicos.

Segundo Marcel Tavares Coelho, gerente de Produto da área fotovoltaica, sua empresa está no mercado de sistemas solares há quase dois anos e entendeu a necessidade de utilizar seus produtos. “Se vendemos um produto temos que mostrar que acreditamos nele”, afirma. “Também somos clientes da EDP, distribuidora de energia elétrica, e enfrentamos um grande aumento nos preços nos últimos anos, sendo que de 2018 até agora o reajuste no preço da energia foi de 20%”.

Coelho explica que a Elgin viu uma oportunidade de reduzir os custos na produção dos sistemas de refrigeração. “Energia é um item de custo fixo e impacta diretamente a margem de custo do produto. Instalamos as células fotovoltaicas tanto para dar visibilidade aos clientes, mas também visando a economia da fábrica para ter margens melhores e nosso produto ser mais competitivo no mercado”, afirma.

O executivo garante que era possível gerar 100% da energia consumida pela fábrica. Mas a empresa possui uma demanda contratada com a EDP de 1,8 MW. “Pela modalidade que temos contratado da concessionária 44% é o máximo que conseguimos instalar”. Serão aproximadamente 5.600 placas instaladas nos telhados da empresa. Atualmente, já estão instaladas e em funcionamento 2.000 placas gerando energia para consumo de todo o complexo industrial. As demais 3.600 placas estão sendo montadas com previsão de finalização em novembro deste ano.

Com os bons resultados obtidos em Mogi das Cruzes, a Elgin já prepara um projeto para instalar um sistema fotovoltaico em sua fábrica de ar-condicionado em Manaus (AM). “No próximo ano, daremos início à instalação de placas fotovoltaicas em nossa fábrica no Amazonas, devido aos resultados que obtivemos em Mogi das Cruzes. Considerando o desempenho que estamos atingindo na usina de força, e pensando como empresário, é viável ampliar os investimentos”, analisa Coelho.

POTENCIAL – Segundo estudo divulgado em maio pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), cerca de 40 mil usinas de energia solar foram instaladas no Brasil entre 2016 e 2018. Isso elevou a participação da energia solar na matriz energética nacional de 0,1% para 1,4%. E um estudo divulgado recentemente pela consultoria Bloomberg New Energy Finance aponta que o Brasil deve receber quase US$ 100 bilhões em investimentos em energia solar até 2040. Antes ignorada por causa de seu alto custo de implantação, a fonte fotovoltaica já é uma realidade no maior país da América Latina, e seu crescimento vem movimentando a cadeia de fornecedores do setor.

A Elgin, afirma Coelho, viu na energia solar um potencial muito grande neste mercado em constante crescimento. “Nossos produtos possuem uma eficiência e rendimento maior que alguns concorrentes, o que garante uma melhor produção de energia no local instalado”, afirma o executivo. “Tanto que hoje estamos entre os quatro maiores do Brasil em micro geração e devemos estar entre os dois maiores até 2020”, acredita.

Entre os produtos oferecidos pela marca, Coelho destaca o micro inversor de 1300W para 4 placas, que é o único no mercado que possui esta potência para uso com até 4 placas de 400W. “Outro diferencial da Elgin, são os inversores até 75kw trifásicos com tensão de trabalho entre 380V e 480V, também sendo o único no mercado com esta possibilidade”.

Atualmente, a Elgin possui obras em 17 estados do Brasil, instalações de 600W há 5MW e nível de problemas menor que 0,5%. “O mercado forte de atuação da companhia é o chamado de micro geração, com projetos até 75 kW, que caracteriza instalações residenciais e comerciais de baixo porte, no qual estamos muito competitivos com uma rede de mais 300 integradores no Brasil, atuando forte no mix de produtos, com ar-condicionado e solar, que realmente é essência da Elgin, de pluralidade de mercado”, explica Coelho. Este ano a Elgin entrou também no mercado de grande porte, com pretensões de atuação em projetos de até 1 MW, com a mesma agressividade dos projetos menores.

Mostrar mais

Artigos relacionados