Eletrônica e Informática

Coronavírus pode prejudicar cadeia produtiva global da área de tecnologia

 

 

O surto do coronavírus, cujo epicentro é a cidade Wuhan na China, pode comprometer a cadeia global de suprimentos de tecnologia. “O coronavírus cria um ambiente de incertezas maior que da guerra comercial… e a escala do impacto é maior que a do Sars”, declarou Gary Cheung, diretor da Haitong Securities em Hong Kong, especialista em tecnologia industrial, ao Financial Times.  Empresas do setor tomam medidas para proteger seus funcionários e mesmo eventos setoriais fora da China são cancelados – a Semicon Korea, que deveria ser realizada de 5 a 7 de fevereiro, em Seul, é um exemplo.

 

A Semi, que organiza o evento, divulgou nota em que diz que a segurança dos expositores e dos visitantes é a principal prioridade e destaca que a decisão foi tomada por precaução, pois novos casos de coronavírus se espalham. A decisão também foi tomada porque vários expositores e outras organizações disseram que não enviariam mais os principais representantes para o evento.

 

As empresas que dependem mais de mão obra na China devem sofrer impactos mais significativos. Este é o caso, por exemplo, das contract electronics manufacturers como Foxconn e Pegatron.

 

Empresas com plantas em Wuhan também devem sofrer fortes impactos. É o caso, por exemplo, das fabricantes de displays flat panel para TVs, China Star, Tianma e BOE, que juntas têm capacidade estimada de 9% da capacidade global. Já se noticiou que a China Star pode não voltar a operar até meados de março, de forma que a produção do primeiro trimestre está em risco.

 

Apesar de o governo chinês ter ampliado o período dos feriados do Ano-Novo para até 2 fevereiro, empresas fábricas de semicondutores e de painéis LCD continuam operando, até porque a paralisação dessas fábricas não é simples e pode significar grandes perdas. Assim, empresas como a LG Display e a fabricante de chips de memória SK Hynix, que têm plantas em áreas em que o governo chinês ordenou retorno ao trabalho mais tardio, operaram normalmente durante os feriados do Ano-Novo e devem continuar a fazê-lo. É bom lembrar, porém, que especialmente as fábricas de semicondutores são altamente automatizadas. (Franco Tanio)

 

Mostrar mais

Artigos relacionados