Metal Mecânica

Escassez de mão de obra alavanca demanda por robôs

As vendas de robôs atingem níveis recorde e a tendência é que a demanda por esses equipamentos continuem aumentado. “O impacto da escassez global de mão de obra está sendo cada vez mais sentido por muitas empresas enquanto tentam acompanhar as demandas dos clientes”, diz Marc Segura, presidente da ABB Robótica. “Isso, juntamente com a incerteza global, a interrupção das cadeias de suprimentos e o aumento dos custos de energia como resultado dos eventos mundiais em 2022, significa que mais empresas estão buscando a automação robótica como forma de aumentar a flexibilidade, criar resiliência e tornar suas operações mais sustentáveis.”

 

De acordo com Segura, a demanda por robôs aumentará em resposta à escassez global de mão de obra, com os robôs, assumindo novas tarefas à medida que mais empresas procuram reforçar suas operações

O impacto da escassez de mão de obra já é amplamente sentido em todos os setores e continuará em 2023, como efeito do envelhecimento da população e da relutância em assumir empregos mal pagos e insatisfatórios. Até 2030, prevê-se que mais de 85 milhões de vagas não serão preenchidas, prejudicando o crescimento econômico e impondo às empresas a necessidade de encontrar novas maneiras de preencher lacunas na força de trabalho.

 

A demanda por robôs será particularmente forte em países que estão buscando “reshore” (trazer parte do negócio que estava em outro país de volta ao país original) ou “nearshore” (contratar uma equipe remota que esteja geograficamente próxima de sua empresa) de suas operações para ajudar a melhorar a resiliência da cadeia de suprimentos frente a eventos globais. Em pesquisa com 1.610 companhias da Europa e dos Estados Unidos 74% das empresas europeias e 70% das companhias dos Estados Unidos disseram que planejam “reshore’ ou ‘nearshore” suas operações, com 75% dos entrevistados na Europa e 62% nos Estados Unidos indicando que podem investor em automação robótica nos próximos três anos.

 

“Embora a atenção tenha se concentrado no impacto da automação nos empregos, os robôs realizarão cada vez mais as tarefas monótonas, sujas e perigosas que não são mais atraentes, ajudando a resolver a questão da escassez global de mão de obra e habilidades”, disse Segura. “As capacidades em expansão dos robôs, incluindo o desenvolvimento de opções colaborativas com cargas maiores, como os cobots GoFa e Swifti da ABB, que podem ser implantados com segurança ao lado de trabalhadores humanos, oferecem novas possibilidades para as empresas lidarem com as lacunas de habilidades e fazerem melhor uso de sua força de trabalho existente.

 

“Também veremos robôs assumindo tarefas em novos setores, como serviços de alimentação e saúde, principalmente em laboratórios e dispensários. Os robôs da ABB já estão em operação na rede de restaurantes Haidilao, onde o processo de preparação de refeições foi automatizado, enquanto na Divisão Médica da Universidade do Texas (UTMB), nos EUA, os robôs da ABB revolucionaram a pesquisa de anticorpos ao automatizar o processo de teste, aumentando o número de testes realizados por dia de 15 para 1.000. Veremos robôs assumindo mais funções em configurações semelhantes em 2023, pois a escassez de mão de obra continua a impactar os negócios”, disse Segura.

 

 

IA E TECNOLOGIA AUTÔNOMA – Embora as tecnologias autônomas continuem tornando os robôs mais fáceis de programar, operar e realizar a manutenção, mais empresas farão seus primeiros investimentos em robôs ou encontrarão maneiras de implantá-los em novos aplicativos. A mais recente tecnologia de navegação autônoma que alimenta a linha de robôs móveis autônomos (AMRs) da ABB já está aumentando a produtividade, ao mesmo tempo em que torna as operações mais flexíveis e rápidas. Soluções como essas permitem que os fabricantes se afastem das linhas de produção tradicionais em direção a células de produção modulares e escaláveis integradas, otimizando a entrega de componentes nas fábricas.

 

Os desenvolvimentos na inteligência artificial estão potencializando a apreensão e o posicionamento autônomos, o que expandirá a gama de tarefas que os robôs podem realizar. Esse maior uso de IA na robótica ajuda em tarefas como aparafusar, que já está em operação na Mega Fábrica de Robótica da ABB em Xangai, onde robôs alimentados por IA constroem novos modelos de robôs. Ao mesmo tempo, a simplificação contínua do software e dos controladores usados para programar robôs reduzirá ainda mais as barreiras à adoção, eliminando a necessidade de conhecimento especializado.

 

“À medida que a Inteligência Artificial na robótica se desenvolve, as preocupações sobre complexidade e capacidade que anteriormente impediam as empresas de investir em automação robótica estão sendo abordadas”, diz Marc Segura. “À medida que as capacidades se desenvolvem, os robôs aparecerão em maior número e em aplicações fora dos ambientes tradicionais de produção e distribuição, como eletrônicos, saúde, comércio eletrônico, produtos farmacêuticos e serviços de alimentação.”

 

O futuro próximo também verá a criação de redes digitais conectadas, usando plataformas abertas para permitir a integração rápida e fácil de robôs, controladores e software de diferentes fornecedores. Os controladores OmniCore da ABB são criados para tornar os robôs mais abertos e conectados, o que torna os robôs mais acessíveis, permitindo que empresas menores e startups adotem a automação.

 

PARCERIAS ESPECIALIZADAS – Com mais empresas introduzindo robôs, há uma necessidade crescente de os trabalhadores aprenderem novas habilidades que lhes permitam prosperar em um ambiente automatizado. Conseguir isso exigirá uma abordagem conjunta e multigeracional, desde escolas, faculdades e universidades até PMEs e associações de apoio para fornecer treinamento.

 

“As fábricas do futuro precisarão de trabalhadores que saibam aplicar tecnologias automatizadas para realizar tarefas”, observa Segura. “À medida que os robôs se tornam mais comuns em fábricas, armazéns e outros ambientes, haverá um aumento nas parcerias entre fornecedores de robôs, fabricantes e educadores para garantir que as pessoas tenham as habilidades certas para um futuro automatizado. Já existem mais de 200 exemplos de parcerias da ABB com educadores em todo o mundo, onde nossos robôs, software de simulação e programação RobotStudio e ferramentas de realidade aumentada e realidade virtual são usados para ensinar a alunos de todas as idades as habilidades necessárias para programar e usar a automação robótica.”

 

Essas três tendências prevalecerão em 2023, à medida que mais empresas buscarem a automação para aumentar sua produtividade, eficiência e resiliência. “A disrupção e a incerteza estão forçando as empresas a pensar de forma diferente sobre a maneira como operam. Escaláveis, flexíveis e capazes de lidar com uma gama crescente de tarefas, os robôs oferecem uma maneira ideal de lidar com a incerteza, tornando os negócios mais resilientes”, observa Segura.

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo