Metal Mecânica

Sotreq reforma caminhões utilizados em mineração

Seis caminhões Cat 793D da CSN Mineração ganharam um novo ciclo de vida útil após passarem por uma completa reforma. Os trabalhos foram viabilizados pela Sotreq , desde a concepção do projeto até a execução da reforma, na unidade de Vespasiano.

Para a mineradora, reformar um ativo de alto valor agregado representa um excelente custo-benefício. Os resultados com a reconstrução dos equipamentos ainda estão sendo avaliados pela companhia, já que a entrega técnica dos caminhões aconteceu há poucos meses, mas a performance já demonstra a eficiência dos trabalhos realizados.

“Previamente é possível dizer que a reforma certificada pela Cat consegue reestabelecer as condições do equipamento, permitindo assim que o mesmo tenha novamente comportamento e performance de equipamento novo. Claro que é necessário aguardar um pouco mais para assegurar tudo o que o projeto promete no que tange à confiabilidade e desempenho da frota”, afirma Ivan Antonio de Oliveira Junior, gerente de manutenção e engenharia da CSN Mineração.

A Reforma Certificada Caterpillar (CCR) é realizada na unidade de Vespasiano da Sotreq, que foi totalmente reformulada e que conta com cinco oficinas. Trata-se de uma estrutura completa para reformas, recuperação, testes e ajustes para atender aos clientes de mineração e de outros segmentos, seguindo os padrões de qualidade Sotreq/Caterpillar.

 

CUSTO-BENEFÍCIO – Além do aspecto técnico do equipamento, o financeiro também é levado em conta pela companhia ao optar pela reforma. “Na verdade, o grande ponto é o custo-benefício, ou seja, esta reforma nos permite ter um equipamento com característica e performance de novo e com um investimento bem menor. Além disso, o grande ponto que torna o projeto viável é a extensão da vida útil do ativo”, diz Oliveira Junior.

Rodrigo Amaral, gerente de Suporte ao Produto da Sotreq, confirma esta vantagem do custo-benefício. “Um CCR para equipamentos de grande porte de mineração, em média, custa de 50% a 60% do valor de um equipamento novo”, afirma.

 

REFORMA – Amaral explica que a decisão sobre a reforma é tomada de forma conjunta com o cliente, de acordo com sua necessidade. No caso dos caminhões da CSN, ele ressalta que foram feitos diversos estudos técnicos e financeiros, incluindo TCO, que demonstraram a viabilidade do produto.

“A fase de estudo contou ainda com visitas da diretoria do cliente a Vespasiano, o que atestou nossa capacidade de execução do serviço. Finalmente, a criação de uma linha de financiamento para este serviço junto à Cat Financial foi determinante para a conclusão do negócio”, diz o gerente da Sotreq.

 

REBUILD – O processo do Rebuild visa retornar o equipamento a uma condição análoga ao novo. Para isso, o equipamento precisa passar por um processo de reforma robusto, onde é completamente desmontado. O chassi passa por um processo de inspeção geral, recuperação de trincas, usinagem das articulações, medições e alívio de tensão antes do início da remontagem.

“Essa é a etapa mais crítica do processo e todo o know-how da Sotreq e da Caterpillar são aplicados para garantirmos a longevidade estrutural dos equipamentos. O powertrain e os demais componentes são totalmente reformados em nosso CRC de Contagem, seguindo todos os critérios do programa. Além disso são reparados itens como radiadores, tanques, grupos de válvulas e cabine. Finalizando o escopo, foram substituídas mais de 15.000 peças, incluindo todas as linhas hidráulicas, chicotes elétricos e sensores”, explica Amaral.

A reforma dos caminhões durou 120 dias nas instalações da Sotreq, um prazo até mais atrativo em relação ao ciclo de entregas de um novo equipamento. Os seis 793D reformados tiveram as entregas técnicas entre julho e agosto na unidade Casa de Pedra.

Amaral ressalta que a estratégia de realizar uma Reforma Certificada da Caterpillar (CCR) em equipamentos da mineração proporciona ao cliente maximizar a vida do seu ativo por mais um ciclo de vida. Isso porque o equipamento com um horímetro elevado perde performance e apresenta um valor de custo operacional elevado, demandando um maior esforço de manutenção para continuar operando em padrões de eficiência aceitáveis.

“O equipamento pós-rebuild retorna ao custo horário e performance semelhantes de um equipamento novo, reduzindo o TCO do ativo. Outro benefício do programa é a redução do HC no site e a otimização dos demais recursos necessários à realização de grandes intervenções, contribuindo para a sustentação da rotina de manutenção dos equipamentos em operação no site”, lembra o gerente.

 

OPÇÕES  – A Sotreq oferece várias opções para reformas de equipamentos. Além do CCR realizado nos equipamentos da CSN Mineração, a Oficina de Reforma de Máquinas da Mineração possui a opção do CPT (Reforma Certificada do Trem de Força) e a reforma em Tempo Material. “Nesta última opção, o cliente tem total flexibilidade para definir o escopo da reforma parcial dentro das suas necessidades financeiras, com o suporte de nossos técnicos que trazem informações de inspeções e testes essenciais para identificar os pontos críticos do equipamento a serem priorizados”, finaliza Amaral.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo