Metal Mecânica

Vendas de aço recuam 1,3% no mês de agosto, após recuperação nos três meses anteriores

As vendas internas de produtos siderúrgicos, após recuperação nos meses de maio, junho e julho apresentaram queda de 1,3% em agosto na comparação com o mês anterior, indicando uma certa acomodação do mercado em níveis pré Covid-19, de acordo com dados divulgados pelo Aço Brasil.

 

Nesse mês de agosto, a produção aumentou 4,2% na comparação com o mês de julho e o consumo aparente de aço caiu 2,1%, também frente ao mês anterior, devido, em parte, à queda das importações de 11,1% no mesmo período.

 

“Apesar da melhoria das condições do mercado interno, a utilização da capacidade instalada do setor continua muito baixa, de apenas 63%”, diz o presidente executivo do Aço Brasil, Marco Polo de Mello Lopes.

 

As exportações, que poderiam ajudar a reduzir a elevada ociosidade no setor, caíram 3,9% em relação ao mês de julho, devido à manutenção das condições adversas do mercado internacional, que tem hoje, um excesso de capacidade acima dos 400 milhões de toneladas.

 

O Índice de Confiança da Indústria do Aço (Icia) do mês de setembro apresentou melhora. “O Icia aumentou 1,4 ponto em setembro, frente ao mês anterior, atingindo 72,2 pontos. Após rápida recuperação da confiança dos empresários do setor nos últimos meses, o Icia passa por relativa acomodação em patamares elevados: o maior nível da série desde janeiro deste ano”, destacou o presidente da entidade.

 

ACUMULADO DO ANO – A produção brasileira de aço bruto foi de 19,8 milhões de toneladas nos primeiros oito meses de 2020, o que significa uma queda de 11,6% frente ao mesmo período do ano anterior. A produção de laminados no mesmo período foi de 13,5 milhões de toneladas, e recuou 11,9% em relação ao registrado de janeiro a agosto de 2019. A produção de semiacabados para vendas totalizou 5,4 milhões de toneladas, uma retração de 8,0% na mesma base de comparação.

 

As vendas internas foram de 11,7 milhões de toneladas de janeiro a agosto de 2020, o que representa uma retração de 6,3% quando comparada com o apurado em igual período do ano anterior.

 

O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos foi de 13 milhões de toneladas no acumulado até agosto de 2020. Este resultado representa uma queda de 7,3% frente ao registrado no mesmo período acumulado de 2019.

 

As importações alcançaram 1,3 milhão de toneladas de janeiro a agosto de 2020, uma queda de 22,9% frente ao mesmo período do ano anterior. Em valor, as importações atingiram US$ 1,4 bilhão e recuaram 18,5% no mesmo período de comparação.

 

As exportações atingiram 7,9 milhões de toneladas, ou US﹩ 3,8 bilhões, de janeiro a agosto de 2020. Esses valores representam, respectivamente, queda de 8,6% e de 25,3% na comparação com o mesmo período de 2019.

 

AGOSTO – Em agosto de 2020 a produção brasileira de aço bruto foi de 2,7 milhões de toneladas, um aumento de 6,5% frente ao apurado no mesmo mês de 2019. Já a produção de laminados foi de 1,8 milhão de toneladas, 4,0% inferior ao registrado em agosto de 2019. A produção de semiacabados para vendas foi de 628 mil toneladas, o que representa uma elevação de 3,8% em relação ao ocorrido no mesmo mês de 2019.

 

As vendas internas cresceram 2% frente a agosto de 2019 e atingiram 1,7 milhão de toneladas. O consumo aparente de produtos siderúrgicos foi de 1,8 milhão de toneladas e recuou 1,7% comparado ao mesmo período de 2019.

 

As exportações de agosto foram de 841 mil de toneladas, ou US﹩ 380 milhões, o que resultou em uma queda de 8,3% e 29,2%, respectivamente, na comparação com o ocorrido no mesmo mês de 2019.

 

As importações de agosto de 2020 foram de 129 mil toneladas e US$ 150 milhões, o que representou uma redução de 48,4% em quantum e de 35,0% em valor na comparação com o registrado em agosto de 2019.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo