Metal Mecânica

Aços inoxidáveis têm características diferentes e devem ser escolhidos conforme aplicação

Uma das ligas metálicas mais utilizadas na atualidade, o aço inoxidável demonstra uma série de vantagens quando comparado a outros materiais. Composto por metais como ferro, cromo, carbono e níquel em proporções variáveis, o aço inox apresenta diversas combinações, o que requer certa atenção na escolha, dependendo da aplicação a que será destinado. Segundo Marcos Barbosa, CEO da Krominox, empresa que produz tubos em aço inoxidável, muitas pessoas ainda não sabem sobre essas particularidades, o que impacta diretamente na longevidade das estruturas e produtos desenvolvidos com a commodity.

 

“Força, resistência, durabilidade e versatilidade são os principais atributos do aço inoxidável. No entanto, dependendo da composição da liga, seu potencial de resistir à corrosão, especialmente em ambientes de alto impacto e agressividade físico-química, pode estar comprometido. Em indústrias químicas, por exemplo, uma escolha errada pode apresentar grandes riscos de segurança aos colaboradores e comunidade”, destaca o executivo.

 

AÇO INOX 316 – Considerado o mais adequado para aplicações marítimas, especialmente em áreas costeiras e com alto teor de solução salina, a resistência do aço inox 316 à corrosão é essencial nesses ambientes, especialmente quando há alta exposição ao cloreto. Trata-se de um material também utilizado em larga escala em equipamentos de processamento e armazenamento químico, equipamentos de refinaria, instalações na construção civil, materiais que serão submersos em água e em aplicações onde maior dureza e resistência são necessárias. Outra aplicação interessante, diz respeito à fabricação de instrumentos cirúrgicos médicos.

 

“O aço inoxidável 316, por exemplo, possui grandes quantidades de cromo, níquel, silício, manganês, carbono, e principalmente, ferro. É a segunda forma mais comum de aço inoxidável depois do 304, mas se diferencia pela composição química. O grau 316 possui uma boa parcela de molibdênio (cerca de 2% a 3%), o que proporciona maior resistência à corrosão e oxidação, principalmente, em termos de temperatura”, explica Barbosa.

 

AÇO INOX 304 – O aço inox 304 mostra seu valor quando o assunto é economia e alta resistência à corrosão, conformação e rachaduras,. Composto basicamente por uma liga de metais como ferro, cromo e níquel, o aço inoxidável 304 apresenta ainda a variação 304L, que possui menor teor de carbono e facilita os processos de solda.

 

“Entre os principais atributos do aço 304, cabe salientar seu ótimo custo-benefício a longo prazo. Ele apresenta baixo custo de manutenção, longa vida útil, elevada resistência aos meios químicos e abrasivos em ambientes agressivos e alto poder de resiliência tanto às altas quanto às baixíssimas temperaturas, em condições conhecidas como criogênicas. Além disso, assim como os outros tipos de aço inox, o 304 é considerado um material 100% ecológico devido ao seu alto potencial de reaproveitamento e reciclagem”, comenta o CEO da Krominox.

 

Sobre suas aplicações, o leque de vertentes é extremamente amplo, contemplando desde segmentos bastante presentes em nosso dia a dia, até as mais variadas frentes industriais. Não raro, sua presença é notória em móveis, arquitetura, utensílios domésticos, eletrônicos, meios de transporte e equipamentos médicos e odontológicos. Também se encontra na indústria automotiva (sistemas de exaustão, válvulas e peças de injeção de combustíveis), tanques de produtos químicos e até mesmo em soluções e estruturas que integram a indústria do petróleo.

 

AÇO INOX 302 E 302-B – Falando do aço inoxidável 302, os elementos principais de sua composição são o ferro, carbono, silício, manganês e adições significativas de cromo e níquel. Este último elemento, inclusive, confere sua maior resistência à corrosão. Por isso, sua presença é notória nos exteriores das construções, equipamentos de recozimento, equipamentos hospitalares, tanques de gasolina, maquinário da indústria de sorvetes, tanques de fermentação, mecanismos de armazenagem e processamento de alimentos e vagões ferroviários.

 

“Existe também o subtipo 302-B, que em função de sua alta resiliência ao calor, é mais comumente aplicado em elementos de aquecimento, suportes de tubos e em equipamentos que exijam resistência à oxidação, em temperaturas até pouco mais de 900°C. Cromo e níquel são os metais predominantes em sua composição”, enfatiza o executivo.

 

AÇO INOX 310 – Fornos industriais, suporte de refratários, ganchos de tubos e dutos de ventilação: estas são algumas das estruturas em que o aço inoxidável 310 está mais presente. Devido ao seu alto grau de resistência a temperaturas elevadíssimas e corrosões eletroquímicas, seu emprego é crescente nas indústrias que operam em ambientes de alta agressividade físico-química.

 

Entre os elementos metálicos que fazem parte de sua composição e garantem suas propriedades térmicas, destacam-se o cromo (25%), o níquel (20%) e o silício (0,6%); uma liga que permite que o aço inox 310 opere em atmosferas oxidantes ou com temperaturas de até 1.100°C.

 

“Sua alta versatilidade faz com que seja aplicado em diferentes segmentos industriais e em plantas de todos os portes: metalúrgicas, usinagens, laboratórios, caldeirarias, tornearias e até mesmo na construção civil, devido ao ótimo acabamento proporcionado por sua aparência e o custo-benefício que agrega aos diversos projetos”, conclui Barbosa.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo