Eletrônica e Informática

Centros de pesquisas de Pernambuco vão receber R$ 58 milhões em investimentos para projetos de inovação

Centros de pesquisas de Pernambuco receberão R$ 58 milhões em investimentos para projetos de inovação, de acordo com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). A novidade foi divulgada durante ato de assinatura dos termos de cooperação que autorizam o funcionamento de duas novas Unidades Embrapii em Recife: a Unidade Embrapii BioCetene (Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste) e a Unidade Embrapii Instituto Senai de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação (ISI-TICs).

Além disso, também foi assinado o termo aditivo para ampliar os recursos da Unidade Embrapii Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar). No total, os aportes às três unidades vão alavancar R$ 134 milhões em investimentos no setor industrial, incluindo os recursos que deverão ser aportados por empresas participantes nos projetos que serão firmados futuramente.

“O Brasil possui uma base de produção de conhecimento muito rica. Mas esse conhecimento está concentrado nas instituições públicas. Queremos conectar a produção do conhecimento científico com as demandas da sociedade. Vamos acelerar a transferência de tecnologia para as empresas e ampliar a nossa capacidade de inovar, de criar produtos e serviços e apresentar soluções para os desafios do país”, disse a ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, durante o evento realizado no dia 10 de julho.

Para o presidente da Embrapii, Chico Saboya, as novas Unidades Embrapii poderão contribuir para a nova trajetória de desenvolvimento nacional. “O Brasil vive um processo precoce de desindustrialização. Daqueles 35% em que já fomos em 1985, auge da participação da indústria no PIB, temos hoje, a depender das estatísticas, algo que vai de 11% a 18%. Esse é o desafio que a Embrapii compra, de enfrentar um dos problemas mais graves do país, que é a perda da competitividade da indústria nas últimas décadas. As duas novas unidades vão ajudar o Brasil a dar o salto que precisa para elevar seus padrões de competitividade, cujo tecido produtivo nacional poderá se beneficiar da capacidade tecnológica que aqui está”, destacou.

NOVAS UNIDADES – A Unidade Embrapii BioCetene foi credenciada para desenvolver projetos na área de Biotecnologia aplicada à Micropropagação de Culturas Vegetais. A Unidade Embrapii ISI-TICs vai investir em projetos para aplicações satelitais. As duas juntas vão receber R$ 16,6 milhões em recursos da Embrapii e dos centros de pesquisa para desenvolvimento de projetos de pesquisas voltadas à inovação industrial. As novas unidades foram selecionadas em chamadas realizadas pelo Embrapii e o MCTI no segundo semestre de 2022. A assinatura do termo de cooperação é o que permite o início das atividades para o desenvolvimento de projetos de inovação industrial.

Já a Unidade Embrapii Cesar, credenciada desde 2015 para desenvolvimento de projetos na área de produtos conectados, recebeu um novo aporte no valor de R$ 35,5 milhões, provenientes da parceria entre Embrapii e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Programa Prioritário Rota 2030 e do contrato de gestão com o MCTI. Além disso, o contrato prevê uma contrapartida de R$ 6,5 milhões da própria Unidade, chegando a um investimento total de R$ 42 milhões.

“Hoje, boa parte dos produtos industriais são importados e precisamos superar a desindustrialização e voltar a produzir no Brasil. Sem dúvida, esse credenciamento é um passo muito importante para o Nordeste. Agradeço a todos a confiança e, em breve, voltaremos a ter uma indústria pujante na região”, destacou o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe) e do Conselho Regional do Senai/PE, Ricardo Essinger.

CESAR – A Unidade Embrapii Cesar atua na área de produtos conectados. O termo aditivo de contrato, assinado no dia 10 de julho, , garante recursos para desenvolvimento de novos projetos até o ano de 2026. A projeção é de contratação de 49 projetos para atendimento a demandas do setor industrial em todo país.

“O Cesar se candidatou como sendo a primeira unidade de internet das coisas. Agora, vamos assinar um novo aditivo, de R$ 35 milhões que serão destinados a 49 projetos, além de atrair cerca de R$ 60 milhões da iniciativa privada. Essa é uma excelente oportunidade para trazer a indústria de hardware, um pleito sempre presente. Com o apoio da Embrapii, vamos fazendo com que software e hardware alavanquem a indústria da região”, destacou o CEO do Cesar, Eduardo Peixoto.

Entre os projetos já desenvolvidos na Unidade está o “Salvus”, dedicado ao monitoramento do nível de oxigênio de cilindros. Os pesquisadores criaram esse sistema que oferece maior precisão da posologia médica e menor desperdício, além de um controle mais preciso na gestão de estoque de oxigênio pelas clínicas. Outro destaque é o projeto “Wings – VAI, Assistente Veicular”, um assistente pessoal que entrega informação segura e precisa, como indicações de falhas e aspectos da saúde do carro em tempo real, evitando prejuízos causados pela falta de manutenção do carro, entre outros.

CETENE – O Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (Cetene) – Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – atua nas áreas de Biotecnologia, Nanotecnologia e Microeletrônica. Como Unidade Embrapii, o centro está habilitado a desenvolver projetos com foco na agroindústria, especialmente na área de biotecnologia aplicada à cultura de tecidos para a produção em escala industrial de cana-de-açúcar. O intuito é o aumento da produtividade e a renovação de campos de produção do setor sucroenergético.

“A Unidade Embrapii BioCetene estará focada em impulsionar a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias estratégicas para a região Nordeste. Trabalharemos incansavelmente para conectar empresas com demandas tecnológicas apropriadas e fornecer soluções personalizadas para atender aos desafios enfrentados pelos setores produtivos”, disse a diretora do Cetene, Giovanna Machado.

Criado em 2005, o Cetene apoia o desenvolvimento tecnológico e econômico da região Nordeste, além de promover a integração entre a sociedade, a inovação e o conhecimento. Trabalha em parceria com universidades, empresas e outros centros de pesquisa, promovendo inovação, difundindo tecnologias e multiplicando competências. O Cetene conta com laboratórios de referência, multiusuários nas macro áreas de nanotecnologia, biotecnologia, computação científica. No total, são cerca de 50 pesquisadores entre bolsistas e servidores da casa.

ISI-TICs – O Instituto Senai de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação (ISI-TICs), do Departamento Regional do Senai de Pernambuco (Senai/PE), foi selecionado como Unidade Embrapii em dezembro de 2022. Ela vai atuar na área de Sistema de Inteligência Geoespacial, nas linhas de sistema para exploração imersiva em dados; sistemas de posicionamento e navegação satelital; sistemas para sensoriamento remoto e conectividade. O objetivo das ações é apoiar as indústrias na melhoria da produtividade.

“O nosso papel, através dos sistemas de inteligência geoespacial, é contribuir para o desenvolvimento da cadeia industrial, por meio da integração de tecnologias como satélites e sensores em terra, provendo assim informações espaciais. Tudo isso possibilita a análise integrada para geração de inteligência em diversas áreas, desde a integração logística das cadeias industriais até equipamentos no chão de fábrica, além de aplicações na agricultura e na transição energética. Queremos contribuir na conexão dessa cadeia industrial como um todo”, disse o diretor de Inovação e Tecnologia do Senai/PE, Oziel Alves.

O ISI-TICs possui laboratórios de indústria 4.0, meio ambiente, alimentos, gesso, construção civil e metalmecânica para dar suporte à execução dos serviços especializados. Estes laboratórios contam com equipamentos para amostragem, análise, tratamento e transformação de materiais, atividades fortemente realizadas nos negócios de consultoria e metrologia da instituição. A infraestrutura para gestão e operação de PD&I conta com aproximadamente 2 mil m² e possui capacidade para 150 colaboradores atuarem em atividades de pesquisa aplicada de TICs, gerenciamento dos projetos, gestão e administração.

EMBRAPII – O  Embrapii possui agora um total de cinco Unidades credenciadas no estado de Pernambuco. Além das duas novas Unidades, Cetene e ISI-TICs, e da Unidade Cesar, ainda estão credenciados o Centro de Informática da Universidade Federal do Pernambuco (CIN-UFPE) e o Instituto de Pesquisa em Petróleo e Energia (LITPEG), também da UFPE.

Somente em Pernambuco já foram alavancados R$ 24 milhões em investimentos, por meio de projetos de inovação desenvolvidos nas Unidades Embrapii localizadas no estado. Ao todo, 18 empresas foram apoiadas, e 24 projetos resultaram em quatro pedidos de Propriedade Intelectual.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo