Artigos e Cases

Cinco maneiras de usar a impressão 3D para economizar tempo e dinheiro

 

 

Anderson Soares (*)

 

Desenvolver produtos utilizando serviços terceirizados de prototipagem é uma estratégia ultrapassada e que desperdiça tempo e dinheiro das companhias. Com o aprimoramento das impressoras 3D, as empresas que querem estar um passo à frente da concorrência já perceberam que a tecnologia é uma aliada importante para ajudá-las a atender à demanda de um mercado consumidor sedento por inovações.

 

Agilidade no processo, redução de custos e questões relacionadas a vazamento de informações e roubo de propriedade intelectual, entre outros, são alguns dos fatores que têm levado um número cada vez maior de empresas a imprimirem, elas mesmas, os protótipos de que necessitam.

 

Sendo assim, a Stratasys destacou cinco dicas que irão ajudar sua empresa a economizar tempo e dinheiro com a utilização da tecnologia ao longo do ciclo de desenvolvimento de novos produtos.

 

1 – Ganhe tempo e economize dinheiro

A terceirização da cadeia de modelagem e de composição manual de cores ainda é muito utilizada pela indústria. Contudo, esperar dias ou semanas para receber os protótipos ou perder horas esculpindo-os em espuma, é um desperdício de tempo que pode ser crucial no ciclo de desenvolvimento de um novo produto para o mercado.

 

Estudos apontam que a impressão 3D reduz pela metade o tempo de modelagem dos designers e em até 85% o valor gasto com a prototipagem terceirização.

 

Com uma impressora 3D full-color e multimaterial dentro da empresa, criar modelos e protótipos é mais rápido e eficiente,

reduz o desperdício de material e pode até mesmo eliminar o pós-processamento.

 

2 – Iterações de design mais rápidas

Para cumprir os rigorosos cronogramas envolvidos no lançamento de um produto, as empresas que terceirizam ou fabricam modelos manualmente, com frequência pulam a etapa de iterações de designs. Em seu lugar, adotam renderizações ou limitam o número de modelos físicos, o que pode acarretar em falhas de design, interromper o processo de fabricação e aumentar o tempo e o dinheiro necessários para que o produto esteja disponível no mercado, com a garantia de que funcionará como o esperado.

 

Contar com recursos internos de impressão 3D full-color permite que as equipes produzam cinco vezes mais protótipos do que normalmente seriam criados, e obtenham modelos detalhados de design mais rapidamente. Dessa maneira, problemas relacionados ao projeto ou design são resolvidos antes do lançamento e de forma mais ágil.

 

3 – Design e qualidade aprimorados

 

Embora a terceirização possa parecer uma ferramenta útil, a qualidade do modelo pode não ser confiável devido aos frequentes problemas de comunicação entre as equipes de desenvolvimento e de design. A terceirização também limita o número de protótipos viáveis dentro do cronograma e do orçamento, impedindo que as novas ideias sejam testadas.

 

Uma impressora 3D incorporada ao processo de desenvolvimento do produto permite que a equipe garanta a qualidade dos modelos e aprimore ideias. A impressão 3D também aumenta a frequência de criação dos modelos conceituais com alta fidelidade na cor, no material e no acabamento (CMF), mesmo quando há a exigência de acabamento de superfície com material full-color ou simulado.

 

4 – Evite o roubo de propriedade intelectual

 

Algumas empresas assumem que, devido à terceirização, o roubo de propriedade intelectual é um custo inevitável do negócio. Mas o impacto desse tipo de crime vai além da exposição antecipada de projetos de design e pode resultar, inclusive, em efeitos de longo prazo e que extrapolam o produto.

 

Dados da indústria mostram que cerca de 90% das empresas do setor de consumo terceirizam o processo de prototipagem, o que aumenta o risco de exposição. Além disso, um em cada cinco designs acaba sendo roubado. São índices muito elevados que influenciam diretamente nas estratégias comerciais e no valor de mercado das empresas.

 

Quando a produção é interna, o risco de exposição do design é reduzido drasticamente. Por isso, contar com uma impressora 3D dentro in loco evita o vazamento da propriedade intelectual e assegura que os produtos, ao chegarem no mercado, sejam algo novo aos olhos do consumidor e tenham o destaque que merecem.

 

5 – Agilize os ciclos de aprovação

 

Criar protótipos de qualidade em apenas algumas horas permite colocá-los nas mãos das pessoas envolvidas com seu desenvolvimento com mais rapidez. Com um modelo real e físico – e não somente uma arte em 2D -, os avaliadores podem tomar decisões sobre o design de forma mais rápida, inclusive avaliando a cor e a ergonomia do produto.

 

Colocar iterações múltiplas nas mãos de quem decide mostra que a equipe de desenvolvimento escuta e responde ao feedback recebido com agilidade e eficiência que somente a impressão 3D pode proporcionar, ao trazer mais eficiência ao ciclo de desenvolvimento de produtos de melhor qualidade e que chegam ao mercado semanas ou meses antes da concorrência.

 

Uma opção de nível industrial e muito utilizada na criação de protótipos é a impressora 3D Stratasys J55 , que já se provou como uma ferramenta eficiente para extrair o máximo do processo de design. A tecnologia multicolor e multimaterial desse modelo ajuda as equipes de design a agilizarem o ciclo de desenvolvimento de produtos e torná-lo mais econômico, com resultados de qualidade superior.

 

Por cerca de um terço do preço das impressoras 3D PolyJet de categoria industrial, a J55 combina realismo e produtividade com alta fidelidade e possibilidade de impressão simultânea em cinco materiais. Isso permite criar aproximadamente 500 mil cores, com validação Pantone, além de texturas realistas e transparência em uma única peça impressa. Fácil de configurar e com a possibilidade de monitoramento remoto que permite que os trabalhos de impressão possam ser gerenciados de casa.

(*) O autor é territory manager da Stratasys no Brasil.

Mostrar mais

Artigos relacionados