Eletrônica e Informática

Copel investe R$ 820 milhões na automatização da rede de energia

A Copel iniciou o programa Rede Elétrica Inteligente. Na primeira fase, 151 municípios das regiões Leste, Centro-Sul, Sudoeste e Oeste vão receber a rede de distribuição de energia automatizada. Com o novo sistema, as unidades consumidoras receberão medidores digitais, que se comunicam diretamente com a central de operação da companhia.

 

A tecnologia vai reduzir o tempo de desligamento provocado por intempéries e outros fatores externos ao sistema. Além disso, tornará possível a leitura de consumo à distância e permitirá que o cliente tenha autonomia para monitorar seu consumo de energia em tempo real, dentre outros benefícios.

 

O investimento nesta etapa, de R$ 820 milhões, levará a nova tecnologia para 4,5 milhões de paranaenses, em unidades residenciais e empresas urbanas e rurais. A rede inteligente da Copel será a maior do Brasil, em um modelo que já existe em países como os Estados Unidos e o Japão.

 

TECNOLOGIA – A Rede Elétrica Inteligente se materializa com a aplicação de sensores e dispositivos de controle à distância que permitem que ela se religue sozinha quando na maioria dos casos e, caso isso não ocorra rapidamente, que a Copel possa detectar de imediato e sanar eventuais problemas de desligamento a partir do Centro Integrado de Operação da Distribuição, em Curitiba.

 

Assim, quando é necessária a intervenção de técnicos para consertos na rede, o centro de operação sabe indicar o ponto exato que gerou a queda de energia. Isso elimina a necessidade de que uma equipe percorra toda a rede afetada para identificar o local onde ocorreu o problema. Consequentemente, o tempo para o restabelecimento da energia cairá drasticamente, o que fará grande diferença na vida das comunidades em geral e para o agronegócio em particular. A rede inteligente conta, também, com reguladores de tensão automáticos.

 

Com a Rede Elétrica Inteligente, a leitura do consumo será online e os clientes poderão acompanhá-la no telefone celular, em tempo real, por meio do aplicativo da Copel. A rede inteligente de energia também tem o potencial para integrar outros serviços no futuro, como microgeração distribuída, tecnologias de armazenamento de energia, iluminação pública e abastecimento de carros elétricos. Com a avaliação de todos os pontos de consumo do sistema de distribuição em tempo real é possível identificar áreas de perdas e furtos de energia, contribuindo para a segurança e a eficiência energética do sistema e das instalações.

 

A Copel já instalou este sistema na cidade de Ipiranga, nos Campos Gerais, em 2018. O projeto-piloto, que conta com as 5 mil unidades consumidoras urbanas e rurais do município, trouxe resultados satisfatórios. Por lá, a duração dos desligamentos de energia diminuiu em 52% na comparação entre os anos de 2018 e 2019.

 

Ainda em 2019, a Copel iniciou um investimento de R$ 60 milhões que faz parte desse grande programa que alcançará o Paraná todo. A empresa inaugurou o Centro Integrado de Operação da Distribuição, em Curitiba, e adquiriu a solução ADMS, (Advanced Distribution Management System, ou Sistema Avançado de Gerenciamento de Distribuição), sistema mais moderno do mercado para gestão de redes de energia.

 

PRIMEIRA ETAPA – Esta primeira etapa do programa Rede Elétrica Inteligente se divide em duas fases. Em julho a Copel Distribuição, empresa do grupo Copel, realizou a maior licitação da sua história para contratar o fornecedor que instalará a tecnologia nas primeiras 73 cidades das regiões Centro-Sul, Sudoeste e Oeste do Paraná.

 

Somente nesta fase são R$ 252 milhões aplicados já a partir deste ano, com beneficio direto a 1,4 milhão de paranaenses (462 mil unidades consumidoras) e implantação até o segundo semestre de 2022.

 

A licitação para a segunda fase está prevista para o começo de 2021. Serão mais R$ 568 milhões, outro investimento histórico da Copel Distribuição para atender mais 78 municípios das regiões Leste, Centro-Sul, Sudoeste e Oeste do Paraná. A previsão é que a implantação comece no segundo semestre de 2021 e atenda a 3 milhões de paranaenses (1 milhão de unidades consumidoras).

 

O projeto Rede Elétrica Inteligente chegará a todo o Paraná nos próximos anos. As próximas etapas já estão sendo planejadas.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo