Eletrônica e Informática

Depois de um ano, tecnologia 5G avança pouco no Brasil

No último 6 de julho completou-se um ano de ativação do 5G no Brasil. Hoje, o país registra uma cobertura em 315 municípios. Para o especialista em tecnologia e CEO da BTTech, Ruy Rede, o 5G pouco avançou no país. Para ele, a expansão ao longo do período, foi pequena diante do que essa geração de tecnologia pode oferecer de benefícios e agilidade à sociedade em geral.

O 5G já alcançou mais de 10 milhões de usuários nessas cidades, segundo o Sindicato das Empresas de Telecomunicações e Conectividade (Conexis). A expectativa é de que esse número de pessoas aumente ainda mais durante este ano, pois 1.610 municípios já receberam autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para ativar o sinal.

Porém, a ativação depende de as operadoras implantarem os equipamentos e fazerem o pedido junto ao órgão. De acordo com Ruy Rede, o avanço dessa tecnologia ainda foi muito pouco perto do que ela pode oferecer.

“As propagandas criaram as expectativas de um mundo totalmente novo com experiências incríveis, mas os usuários finais ainda vivem os problemas de conexão e queda de linha. Talvez o lado de games tenha sentido melhor este avanço, mas ainda há muito a se fazer para que a tecnologia tenha seu aproveitamento”, avalia.

O executivo vai mais além e destaca que as companhias de telefonia não têm um incentivo financeiro para acelerar esses processos. Com isso, querem acentuar os investimentos feitos nas tecnologias anteriores.

“As empresas ainda não descobriram a fórmula ideal para transformar essas novidades (do 5G) em margem de lucro. O pensamento não está errado, mas atrasa o processo de chegada da tecnologia às mãos do cliente final”, analisa. O especialista avalia quais serão os próximos passos do 5G no país:

ECONOMICAMENTE VIÁVEL – O especialista afirma que, apesar de empolgante, a tecnologia precisa ser útil e economicamente viável para se manter. Por isso, há a necessidade de se criar novos produtos voltados para a tecnologia. “Já existem telefones e outros produtos de IoT (conectados à internet) suficientes no mercado para que as empresas criem novos serviços e produtos baseados nessa nova realidade. Há demanda para absorver a criatividade de muitas coisas que os usuários finais sequer imaginam a existência”, ressalta o especialista.

O CEO da BTTech afirma que o 5G abriu tantas possibilidades. No entanto, ainda aguarda agentes inovadores e até mesmo inventores de produtos para a nova tecnologia. Para ele, esses personagens farão com que a utilização da tecnologia aconteça numa rapidez típica dessa geração tecnológica.

“Se olharmos a história, o telefone levou mais de 50 anos para atingir 50 milhões de usuários e a internet um pouco mais de 3 anos. A diferença do mundo atual é enorme e agora a expectativa é que tudo aconteça na velocidade do 5G.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo