Eletrônica e Informática

EDP reduz invasão a subestações em 95% com o uso de sistemas de segurança

A EDP Brasil, empresa privada do setor elétrico no país, reduziu em 95% as invasões a subestações, onde ocorrem furtos de cabeamento. O problema representa risco de vida para os criminosos, risco de interrupção do fornecimento de energia à população, queda na avaliação da EDP junto à agência reguladora (Aneel) e danos à imagem da empresa. A redução foi alcançada através de uma combinação de câmeras, radares e alto-falantes IP da Axis Communications.

Quando os radares detectam uma aproximação indevida, aparece uma mensagem na central de monitoramento, ao mesmo tempo em que uma câmera é direcionada automaticamente para o local do incidente. Em seguida, o alto falante IP é acionado para emitir uma mensagem clara que, na maioria dos casos, é suficiente para evitar a invasão.

Caso o invasor prossiga e ultrapasse o limite, uma nova mensagem emitida pelo alto-falante Axis C1310-E informa que as autoridades foram acionadas, o que em muitos casos evita outros danos. Caso necessário, o operador também pode utilizar o microfone de mesa para falar ao vivo com o invasor.

“O alto-falante da Axis é, sem dúvida, o maior diferencial desse projeto. Ele tem sido instalado dentro das unidades com resultados incríveis e estamos muito satisfeitos com seu desempenho. A forma como esse sistema é utilizado nos mostrou uma nova forma de inibir as invasões e apontou que estamos no caminho certo para garantir a segurança do nosso patrimônio”, avalia Erika Zanete, gestora de segurança da EDP Energias do Brasil.

O projeto da EDP, executado pelas empresas M3 Tecnologia e SS Brasil, também reduziu despesas operacionais relacionadas ao sistema de controle de acesso. Para isso, foi implementada uma gestão remota de acessos através de videoporteiros da Axis.

“Com o videoporteiro instalado em várias unidades, ganhamos duas vezes. Primeiro, pela redução do número de funcionários e, depois, pelo monitoramento em si, feito a partir das imagens geradas pelo porteiro eletrônico, graças ao alcance e aos ângulos que esse equipamento oferece. As imagens são tão nítidas que a Central de Segurança pode identificar tanto o visitante quanto quem está com ele em um veículo. Esse equipamento reduziu muito nossos custos no projeto”, reforça Erika.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados