Metal Mecânica

Empresas brasileira recorrem a fornecedores de serviços para ajudar a aproveitar a IoT

Não mais satisfeitas com provas de conceito, as empresas no Brasil estão ativamente buscando soluções práticas e acionáveis de Internet das Coisas (IoT) que agregam valor substancial, de acordo com um novo relatório de pesquisa publicado pelo Information Services Group (ISG), uma empresa de pesquisa e consultoria em tecnologia.

O relatório ISG Provider Lens Internet of Things – Services and Solutions 2023 para o Brasil revela que as empresas estão cada vez mais recorrendo a fornecedores de serviços para ajudá-los a aproveitar ao máximo a IoT, maximizando seu valor e minimizando seus riscos potenciais. Não surpreendentemente, a demanda por serviços gerenciados está crescendo em conjunto com a expansão do mercado de IoT no Brasil, diz o relatório do ISG.

“Os serviços de consultoria de estratégia de IoT estão acompanhando a evolução tecnológica”, diz Matteo Gallina, líder de Soluções de Engenharia Digital, Américas, para ISG. “Os fornecedores têm ajudado as organizações a navegar no cenário complexo das tecnologias IoT e desenvolver estratégias para alavancar essas tecnologias de forma eficaz.”

Os fornecedores de serviços intervieram para preencher a lacuna entre a teoria e a prática da IoT, auxiliando as empresas brasileiras por meio de consultoria estratégica, integração e implementação e serviços gerenciados, além de oferecer estratégias para gerenciamento de dados e IA na borda. Embora uma área de ataque expandida aumente os possíveis riscos de segurança, a IoT pode melhorar os processos, produtos e serviços de uma empresa, extraindo informações valiosas dos dados gerados pelos dispositivos conectados, diz o relatório do ISG.

Usados em conjunto, a computação de borda IoT e os serviços de IA fornecem poder de processamento acelerado na borda, reduzindo a latência e melhorando o desempenho geral do sistema IoT. De acordo com o relatório do ISG, ao analisar dados na borda, os sistemas IoT podem gerar insights em tempo real e tomar decisões informadas sem depender de serviços baseados em nuvem.

Essa combinação de recursos de edge computing e serviços baseados em nuvem, quando necessário, pode ajudar as organizações a otimizar o desempenho, a segurança e a eficiência de seus sistemas de IoT, diz o relatório do ISG. As empresas brasileiras estão buscando esses sistemas não apenas para reduzir custos operacionais, mas também para alcançar resultados consistentes com as metas de sustentabilidade, diz o ISG.

“As empresas que buscam soluções ESG podem recorrer às tecnologias IoT para obter ajuda”, diz Jan Erik Aase, parceiro e líder global da ISG Provider Lens Research. “Elas podem usar a IoT para desenvolver estratégias que não apenas beneficiem seus resultados, mas também contribuam para um futuro mais sustentável e igualitário.”

O relatório também examina a Internet das Coisas Médicas (IoMT), uma tecnologia que permite monitorar, diagnosticar e tratar pacientes remotamente usando dispositivos como pulseiras inteligentes, sensores implantáveis, câmeras e drones.

O relatório avalia as capacidades de 28 fornecedores em quatro quadrantes: Strategic Consulting, Implementation and Integration, Managed Services and Data Management e AI on the Edge.

O relatório nomeia Accenture, Embratel, Siemens e Telefonica Tech como líderes em todos os quatro quadrantes, enquanto a IBM é apontada como líder em três quadrantes. Algar Telecom, Deloitte, Logicalis e TIM são apontadas como líderes em dois quadrantes cada, enquanto Kyndryl é apontada como líder em um quadrante.

Além disso, a Logicalis é nomeada como Rising Star, uma empresa com um “portfólio promissor” e “alto potencial futuro” pela definição do ISG, em dois quadrantes, enquanto a Capgemini e a EY são nomeadas como Rising Stars em um quadrante cada.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo