Eletrônica e Informática

Especialistas do IEEE avaliam que 5G, IoT e IA aumentarão a produtividade de diversos setores no Brasil

Especialistas do Instituto dos Engenheiros, Eletricistas e Eletrônicos (IEEE), maior organização profissional do mundo dedicada ao avanço da tecnologia em benefício da humanidade, avaliam que a implementação da rede 5G no Brasil oferece novas possibilidades de utilização de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) e Inteligência Artificial (IA). Isso permitirá aumentar a produtividade em diversos setores da economia e da sociedade em grande escala, além de impulsionar a produção tecnológica no país. As tendências foram reveladas em debate na Futurecom realizada em São Paulo na primeira quinzena de outubro.

Para Wilson Cardoso, a introdução da Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) nas redes de telecomunicações proporciona grande redução de latência na transmissão de dados e o desenvolvimento de novas capacidades em termos de conectividade. “Isso vai desde sensores simples utilizados na agricultura até câmeras que transmitem imagens em alta resolução com baixa latência”, ilustra Cardoso. “No 5G, em uma única rede temos todas as conexões possíveis e necessárias, seja para a indústria, para o agronegócio, para a saúde, para a educação ou para qualquer outro setor.”

Maurício Salles abordou, por sua vez, a geração de energia elétrica em usinas eólicas offshore, que podem ser construídas em alto mar ou próximas da costa. “A primeira fazenda eólica instalada no mar foi construída 30 anos atrás. Eram apenas 11 turbinas, a 3 km da costa. Hoje, temos usinas com 170 turbinas, maiores e mais potentes, montadas a 90 km da costa. Essa usina em especial, Hornsea 2, na costa da Inglaterra, tem capacidade instalada de geração de energia de 1,38 GW, semelhante a da usina nuclear Angra II”, explica o especialista do IEEE.

O especialista do IEEE Marcelo Zuffo traçou um panorama do 5G no Brasil. “Estamos na fase de instalação da infraestrutura básica, com instalação de antenas e de fibra óptica. Nos próximos anos, conforme a implementação da rede avançar, teremos grandes avanços. É como voar em um avião ainda em construção. Em breve, teremos avanços significativos, como a ampla utilização de IoT”, avalia Zuffo. “No Brasil, temos o Plano Nacional de Internet das Coisas. As prioridades são o agronegócio, a área de saúde digital, cidades inteligentes e a indústria 4.0. Empresas, startups e pequenos negócios devem focar no desenvolvimento de soluções com IoT para gerar renda, riqueza e tecnologia no país.”

Antonio Pedro Timoszczuk destacou que o Brasil é um dos principais players no mercado global de IA. “Nosso país é um celeiro de talentos em IA. Temos aqui diversas fintechs e agrotechs que utilizam IA em seus processos, por exemplo”, conta Timoszczuk. O especialista do IEEE falou ainda como a IA afetará os empregos no futuro. “Sempre que uma nova tecnologia é adotada amplamente, temos um reposicionamento do mercado de trabalho. Isso não quer dizer que as pessoas vão perder seus empregos. Novos trabalhos, novos ofícios e novas funções surgirão em função da IA.”

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo