Metal Mecânica

Indústria alemã de máquinas-ferramenta vê entrada de pedidos recuar 21% no primeiro trimestre

A indústria de máquinas-ferramenta da Alemanha amargou uma queda de 21% na entrada de pedidos no primeiro trimestre de 2019 na comparação com o mesmo período do ano passado. Os pedidos domésticos da Alemanha recuaram 10%, enquanto os pedidos do exterior caíram 27%.

Estas quedas se devem ao primeiro semestre de 2018 extremamente próspero, segundo o dr. Wilfried Schäfer, diretor executivo da VDW, a associação alemã dos fabricantes de máquinas-ferramenta. Ele acredita que o efeito de ter uma base de comparação alta deve se reduzir de forma significativa no segundo semestre.

“No entanto, o arrefecimento da economia global está agora finalmente impactando a indústria de máquinas-ferramenta alemã também”, diz Schäfer.

Os negócios no mercado interno alemão, um contrapeso para o declínio dos pedidos externo, perdeu a força. O único destaque positivo é a zona do euro, que agora está mais estável e experimentou uma pequena queda de 3%. Todavia, isso pode apenas estabilizar a perda dos mercados fora da zona do euro de forma marginal.

As causas para a queda podem ser facilmente identificadas: disrupções por motivição política no comércio mundial, que afetam os mercados emergentes, crescimento fraco da China, debilidades estruturais na indústria automotiva (o maior cliente do setor de máquinas-ferramenta) e queda na indústria de semicondutores.

“Em 2018, a indústria automotiva internacional reduziu pela metade suas despesas de capital, para menos de 4% comparado ao ano anterior, e parece que planeja números mais baixos para 2019”, explica Schäfer.

Os níveis de pedidos são mais baixos que aqueles de vendas, pela primeira vez desde meados de 2014. As vendas cresceram 6% nos primeiros três meses de 2019. “Várias companhias estão dependendo dos pedidos acumulados desde o boom anterior”, afirma Schäfer. O excessivo tempo de entrega começa a ficar mais curto. Isso torna a aquisição mais flexível novamente para os clientes e reduz o tempo para a produção para os fabricantes de máquinas. A capacidade de produção utilizada em abril de 2019 foi de 86,5% – abaixo da média de 2018.

“A VDW, todavia, tem a expectativa de que a produção vai aumentar 1% em 2019”, enfatiza Schäfer. Ele também espera que a demanda cresça no segundo semestre. Os pedidos em carteira também devem proporcionar sustentação para a indústria por algum tempo. (Franco Tanio)

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados