Eletrônica e Informática

Maior parte dos usuários acredita que informações pessoais não são protegidas na Internet

Em comemoração ao Dia Mundial da Internet, celebrado no dia 17 de maio, a Eset, empresa que atua no segmento de detecção de ameaças, divulga os resultados de sua pesquisa com mais de 2000 usuários na América Latina sobre suas preocupações online. Ameaças, trapaças, notícias falsas e violações de dados são algumas das opções com mais votos.

 

Quase 50% dos usuários da Internet alegaram ser vítima de uma ameaça online e, dentre as ameaças mais preocupantes, 40% mencionaram infecções por malware, 28,4% a exposição de dados pessoais e 28,2% a enganação ou phishing.

 

Quanto às informações que parecem mais importantes de serem tratadas na Internet, os usuários escolhem primeiro os dados financeiros, seguidos pelos dados pessoais e, finalmente, as informações da família. Além disso, 56% dos usuários acreditam que suas informações pessoais não são realmente protegidas na Internet e 39% mencionaram que depende do site ou serviço. Em termos gerais, os usuários consideram que o e-mail (74%), os serviços de compras online (56%) e as redes sociais (32%) estão preocupados com o cuidado de suas informações.

 

Por outro lado, 72% dos usuários ficariam aborrecidos se empresas de serviços como redes sociais ou e-mail compartilhassem suas informações com terceiros. Além disso, 21% considerariam escolher um serviço em detrimento de outro se oferecesse maior proteção às suas informações, mas isso não seria decisivo.

 

“Existem infinitos benefícios que a Internet nos traz, especialmente em um contexto de isolamento como o que estamos enfrentando devido ao Covid-19. De qualquer forma, pouco a pouco, os usuários estão se conscientizando da importância de cuidar de dados pessoais online.”, afirma Luis Lubeck, especialista em segurança do laboratório de pesquisa da Eset na América Latina.

 

Por fim, 69% dos entrevistados parariam de usar um serviço de mídia social ou e-mail se soubessem que ele tinha acesso a suas conversas e conteúdos pessoais.

 

“É essencial conhecer os riscos aos quais você está exposto e tomar medidas preventivas: pense duas vezes antes de preencher qualquer formulário na Internet, verifique se as comunicações são seguras, mantenha equipamentos e sistemas atualizados, tenha soluções de segurança tanto em dispositivos móveis como nos desktops e fique atento às ameaças mais recentes. Isso permite que você aproveite a Internet com mais segurança.”, completa Lubeck.

 

A pesquisa realizada pela Eset, em março de 2020, reúne mais de 2200 usuários da América Latina. Além do Brasil, também foram entrevistados usuários do Peru, da Bolívia, do Equador, da Guatemala, da Colômbia, do México, da Argentina, da Venezuela, do Chile, de El Salvador, de Honduras, do Panamá, da Costa Rica, da Nicarágua, do Paraguai, do Uruguai e de Porto Rico.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo