Eletrônica e Informática

PotencializEE apresenta catálogo que permite comparar desempenho energético e outros parâmetros

O Programa PotencializEE  lança o “Catálogo Virtual de Tecnologias de Eficiência Energética”, com informações completas de mais de 2000 produtos cadastrados em diversas categorias tecnológicas. O catálogo permite comparar itens de uma mesma categoria em relação ao desempenho energético, vida útil, normativas atendidas e outros parâmetros técnicos. O PotencializEE é um programa de Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável, liderado pelo MME (Ministério de Minas e Energia) e coordenado em parceria com a GIZ Brasil, Agência Alemã de Cooperação Internacional.

“Será um espaço onde fabricantes e representantes comerciais poderão mostrar suas tecnologias, assim como interessados em adquiri-las encontrarão opções em um único lugar, podendo fazer escolhas a partir de informações confiáveis e comparações entre diferentes produtos. Nosso objetivo é ajudar as indústrias a adotarem a tecnologia adequada, que gere inúmeros benefícios, promovendo a elevação da produtividade ao tornar os negócios mais competitivos e ambientalmente responsáveis”, afirma Wendell Pacheco, assessor técnico do PotencializEE. A utilização do catálogo é gratuita e está disponível no site https://tecnologias.programa-potencializee.com.br/

Os produtos são organizados em três categorias: intervenções elétricas, intervenções térmicas e gerenciamento de energia. E subdivididos em 21 linhas de produtos, por exemplo, incluindo motores, ventiladores, bombas, coletores solares, caldeiras, entre muitas outras. Por meio da plataforma é possível comparar itens de uma mesma categoria entre si, facilitando a tomada de decisão quanto ao que é mais adequado ao projeto desenvolvido.

Pacheco lembra que a meta do programa é aumentar ainda mais a lista de fornecedores nacionais e estrangeiros participantes da iniciativa. “Nossa estimativa é oferecer mais de 3 mil opções de tecnologias ligadas à eficiência energética industrial”, comenta.

Para os fabricantes ou representantes comerciais interessados em fazer parte do catálogo virtual, basta acessar o site do programa e compartilhar as especificações técnicas dos produtos. Além disso, as empresas que quiserem ser fornecedores do Senai para os projetos do PotencializEE devem se credenciar, paralelamente, na área específica do site e, assim, ficam elegíveis para participar em até 1.000 diagnósticos energéticos e projetos a serem implementados no âmbito do programa.

CATÁLOGO – O catálogo reúne dados técnicos e de desempenho energético das tecnologias mais eficientes em consumo de energia do mercado brasileiro e pode ajudar na tomada de decisão sobre investimento em projetos de melhoria da eficiência de processos industriais, inclusive na aprovação de um financiamento. Mais do que um comparativo, as informações técnicas de desempenho auxiliam a quantificar o CO₂ evitado em processos industriais e passa a ser um novo indicador relevante na decisão de financiamento para os operadores financeiros.

De acordo com Rodrigo Bacelar, gerente da Área de Energia do BNDES, o Catálogo Virtual de Tecnologias do PotencializEE vai ajudar na redução dos riscos percebidos pelos bancos quando as indústrias solicitam financiamentos. “Um projeto que emprega tecnologias consagradas de alta eficiência tem menor risco de baixa performance. Poder confirmar as informações sobre as tecnologias em um só lugar simplifica a análise dos bancos”, comenta.

As tecnologias inseridas na publicação do PotencializEE abrem caminho para integrar a lista de equipamentos e sistemas industriais do Fundo de Financiamento para Aquisição de Máquinas e Equipamentos Industriais (Finame), também do BNDES. “O estabelecimento de parcerias com o programa da GIZ poderá permitir um fluxo direcionado de clientes que tenham interesse ou foco no tema de eficiência e que poderão também ter acesso ao fundo garantidor de crédito, aproveitando nossa capacidade de financiar estas soluções”, explica Lucas Lucena, gerente de Desenvolvimento de Cadeias Produtivas do BNDES.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo