Metal Mecânica

Proprietária de oficina mecânica em Ceilândia está entre as finalistas de prêmio da ONU para empreendedoras

A empresária Agda Oliver, proprietária da oficina Meu Mecânico, localizada em Ceilândia (DF), é uma das dez finalistas do Prêmio Empretec para Mulheres Empresárias. A premiação, organizada a cada dois anos pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), reconhece o empenho e a dedicação de mulheres empreendedoras que aplicaram os conhecimentos adquiridos para transformar suas comunidades depois de participarem do Empretec, metodologia desenvolvida pela Organização das Nações Unidas (ONU) e executada com exclusividade no Brasil pelo Sebrae.

 

Em sua 7ª edição, a cerimônia de premiação está prevista para ser realizado em dezembro, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, a depender da confirmação dos organizadores. Além do Brasil, outros nove países estarão representados na disputa que ainda não teve brasileiras vencedoras em edições anteriores “Estou em êxtase e muito emocionada por estar entre as finalistas. Sei que o fato de estar lá já é bastante positivo, mas eu quero ganhar. Quero muito trazer essa premiação internacional para o Brasil”, conta Agda.

A empresária foi selecionada dentre 40 empreendedoras de todo o Brasil pela coordenação nacional do Empretec, que indicou outras cinco mulheres empreendedoras em Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro e Tocantins. Os nomes foram repassados para um grupo de especialistas da UNCTAD que analisou e escolheu quais seriam as dez finalistas dessa nova edição do prêmio que reúne mulheres de 40 países, que assim como o Brasil, promovem o Empretec.

 

O Sebrae tem acompanhado a participação da empresária brasileira e com o apoio da unidade regional do DF, ela está preparando sua apresentação com fotos e vídeos que contam um pouco a rotina do seu pequeno negócio e o impacto gerado pelo Empretec no seu desenvolvimento pessoal e profissional.  “O Sebrae, mais uma vez, está pegando na minha mão e agora me colocando em condições de representar o Brasil”, reforçou.

 

TRAJETÓRIA – Natural de Arinos, município localizado no Noroeste de Minas Gerais, a 280 quilômetros de Brasília, Agda Oliver veio para a capital federal no início dos anos 2000 quando trabalhou em áreas dominadas pela presença masculina, como postos de combustíveis, hipermercados e instituições bancárias.

A vontade de ter seu próprio negócio sempre a acompanhou, mas ganhou força quando ela passou pela experiência de ser enganada em uma oficina mecânica. A partir do episódio, Agda começou a estudar conceitos de mecânica e a pesquisar mais sobre o próprio carro por meio da internet e manual de fábrica. Atraída pelo setor automotivo, ela decidiu montar uma oficina mecânica e procurou para buscar orientações e concretizar o negócio. Ao participar do Empretec, ela reuniu conhecimento e desenvolveu habilidades para tornar seu empreendimento viável.

 

A oficina foi aberta na região de Ceilândia Sul e aos poucos a marca cresceu e conquistou clientes tanto no DF como em Goiás, tornando-se  referência, principalmente para o público feminino que representa cerca de 70% da clientela. Por mês, são em média 300 clientes na oficina. Ela reconhece que o sucesso ao longo dos anos teve a participação do Sebrae. Segundo a empreendedora, a instituição traz credibilidade para o negócio. “Eles me ensinaram a ouvir o cliente, que é quem de fato determina o sucesso de um empreendimento”, declara.

 

Em 2012, a empresária tornou-se a primeira empreendedora do DF a vencer o Prêmio Nacional Sebrae Mulher de Negócio. A iniciativa reconhece a atuação de mulheres empreendedoras em todo o país, cuja história de vida pode ser exemplo para aquelas que têm o mesmo propósito.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo