Eletrônica e Informática

Rússia e Ucrânia somam só 1% do mercado de TIC, mas consequências da guerra serão amplas

A guerra entre Rússia e Ucrânia e a resposta diplomática, somada às sanções econômicas e outras medidas impostas à Rússia pelos Estados Unidos, União Européia (UE) e outros países, atingem o mercado de tecnologia da informação e comunicação (TIC).  Um novo relatório da International Data Corporation (IDC), divulgado no dia 7 de março, fornece uma avaliação inicial de como a crise afetará os gastos com TIC e os mercados de tecnologia em todo o mundo.

“O cenário geopolítico em evolução, sem dúvida, afetará a demanda global de TIC nos próximos meses e anos”, diz Andrea Siviero, diretor de Pesquisa Associado da European Customer Insights & Analysis. “Uma nova pesquisa do IDC Global CIO Quick Pulse descobriu que mais da metade dos entrevistados está reavaliando seus planos de gastos com tecnologia para 2022, com 10% esperando fortes ajustes em seus planos de investimento em TIC.”

A IDC espera um declínio acentuado e uma recuperação lenta dos gastos com TIC na Rússia e na Ucrânia, mas o impacto global desse declínio será limitado. Combinados, os dois países representam apenas 5,5% de todos os gastos com TIC na Europa e 1% em todo o mundo. Ao mesmo tempo, o provável impacto da crise no comércio, cadeias de suprimentos, fluxos de capital e preços de energia afetará a economia global em uma escala mais ampla, com consequências negativas para o mercado regional e mundial de TIC. Essas consequências incluem:

  • Flutuação da demanda tecnológica: O conflito interrompeu as operações comerciais na Ucrânia, enquanto a economia russa está sentindo o impacto inicial das sanções ocidentais. Isso afetará fortemente os gastos com tecnologia em ambos os países, com contração de dois dígitos da demanda do mercado local prevista para 2022. Já os gastos com tecnologia entre os países da Europa Ocidental podem aumentar em parte devido à expansão das alocações de defesa e segurança.
  • Preços da energia e pressão inflacionária: As tensões geradas pelo conflito na Ucrânia terão consequências amplas tanto nos preços da energia quanto na segurança do abastecimento, particularmente para alguns países europeus onde já são sentidos os efeitos em cascata sobre os índices de preços. A maioria dos países precisará reavaliar rapidamente seus planos de energia de curto prazo, ao mesmo tempo em que acelera os esforços para reduzir a dependência de fontes de energia baseadas em carbono.
  • Realocação de competências e de infraestrutura: Mais de 100 empresas globais estabeleceram subsidiárias na Ucrânia e muitas outras têm operações na Rússia. O conflito já deslocou dezenas de milhares de desenvolvedores na Ucrânia e levou à realocação de alguns serviços em ambos os países. Esses relacionamentos, juntamente com os ativos físicos e pessoal a eles associados, bem como quaisquer planos de expansão futuros, precisarão ser reavaliados à luz do conflito.

 

  • Disponibilidade de dinheiro e crédito: As sanções financeiras impostas até o momento estão apresentando sérios desafios à disponibilidade de crédito estrangeiro na Rússia, ao mesmo tempo em que criam perdas potenciais em empréstimos emitidos por países da UE para a Rússia. Sem acesso ao crédito, a maioria das organizações será forçada a suspender os investimentos em novas tecnologias no curto prazo. O país também está sofrendo com uma grave escassez de dinheiro, o que está impactando significativamente os gastos dos consumidores.

 

  • Dinâmica da cadeia de suprimentos: As exportações de produtos acabados e de componentes de tecnologia para a Rússia serão significativamente afetadas pelas sanções, mas o impacto para as empresas ocidentais será relativamente pequeno devido ao tamanho do mercado. As importações de materiais tecnológicos da Rússia e da Ucrânia também serão afetadas, particularmente no setor de semicondutores, onde os suprimentos de gás neon, paládio e C4F6 usados ​​na fabricação de chips serão bastante reduzidos. Espera-se também que o conflito cause mais interrupções nas cadeias de suprimentos globais porque a carga é redirecionada entre os dois países e os custos aumentam.

– Flutuações da taxa de câmbio: A moeda da Rússia, o rublo, despencou devido às sanções iniciais, tornando as importações de equipamentos e serviços de TI bem mais caras. Como resultado, muitas empresas estão se recusando a enviar pedidos para a Rússia, mesmo que o pagamento seja possível. Isso também significa que os próprios fabricantes de PCs, servidores e equipamentos de comunicação da Rússia não poderão operar. As tensões geopolíticas também estão afetando outras moedas em toda a região, incluindo o euro.

Além das consequências imediatas já identificadas, outros impactos de curto e longo prazos podem ser esperados, incluindo aumento da volatilidade e especulação do mercado de ações; risco de ataques cibernéticos e potencial para uma guerra cibernética mais ampla; a desestruturação dos ambientes de start-up na Rússia e na Ucrânia; e a criação de novas alianças empresariais e científicas para substituir aquelas rompidas pelas hostilidades.

“Dada a natureza fluida do conflito, a IDC recomenda que as empresas identifiquem os elos fracos em seu ecossistema de cadeia de valor, desenvolvam estratégias ágeis de cadeia de suprimentos e criem planos de ação que lhes permitam antecipar e reagir a uma série de movimentos disruptivos do mercado”, afirma Philip Carter, vice-presidente do grupo, Worldwide Thought Leadership Research.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo