Metal Mecânica

Scania anuncia investimento de R$ 2 bilhões para o período de 2025 a 2028

A Scania anunciou investimento de R$ 2 bilhões programados para o período de 2025 a 2028, que vão se somar ao ciclo de R$ 1,4 bilhão desembolsado em projetos realizados entre 2021 e 2024. O anúncio feito formalmente durante visita do vice-presidente da República e ministro do MIDC, Geraldo Alckmin, no dia 21 de junho.

 

De acordo com o presidente e CEO da Operação Industrial da Scania, Christopher Podgorski, o polo industrial em São Bernardo do Campo (SP) abrange uma área de 427 mil metros quadrados e contém o que existe de mais avançado na indústria. “São nove fábricas operando conjuntamente para produzir caminhões, ônibus, motores industriais e marítimos, todas elas constantemente atualizadas”, informou. “Graças a nossa estratégia de Sistema de Produção Global e ainda o exclusivo Sistema Modular Scania conseguimos incorporar novas tecnologias às plataformas de produto recém introduzidas, como agora estamos fazendo com a plataforma para Chassis para Ônibus Elétricos.”

 

Segundo o executivo, o início da adequação da Unidade Industrial para produção das Soluções de Transporte Sustentável foi em 2018, ano em que foi introduzida no Brasil a Nova Geração de Caminhões Scania. De lá para cá os investimentos foram direcionados, entre outros projetos, para a industrialização dos Motores a Gás e Biometano, da Nova Geração de Ônibus e também ao recém lançado Trem de Força – batizado de Super, iniciativa que levou a ampliação da Fábrica de Motores da empresa. “Agora o foco é incrementar a jornada da transformação com a eletrificação” diz Podgorski.

 

“Estamos saindo do predomínio de 120 anos do setor de óleo e gás, ou seja, é um desafio implementar alternativas às fontes de energia fósseis considerando custo e escala na velocidade que precisamos caminhar em razão da pressão imposta pelas questões climáticas que já nos assolam no dia-a-dia”, completa. “E ainda referente ao processo de descarbonização, o importante é manter o conceito do “poço-a-roda” e quem conhece o setor de veículos pesados e a vocação do Brasil sabe que a diversidade de soluções está no centro do horizonte para uma transição concreta”, acrescenta Podgorski.

 

ELETRIFICAÇÃO – Segundo o executivo, entre as rotas a percorrer para descarbonizar o setor, o chassis elétrico para ônibus complementa as soluções já disponíveis: os motores a Gás e Biometano e o Biodiesel 100%. “O inimigo único e comum a todos é o carbono. Para abatê-lo, considerando um país de dimensão territorial como o Brasil, seu tamanho de frota e matriz energética, é fundamental abraçar múltiplas tecnologias. A eletromobilidade se encaixa neste contexto”, complementa.

 

Com o investimento de R$ 60 milhões, a preparação industrial se inicia agora e em março de 2025 a planta de São Bernardo do Campo passará a produzir chassis para ônibus elétricos.  A fábrica do Brasil será a terceira unidade global da Scania a produzir veículos elétricos. “São poucas adequações na linha, basicamente mudanças na pré-montagem, que envolve o sistema de resfriamento e de alta tensão, e da pré-montagem da estrutura que vai sustentar as baterias no lugar do motor”, diz a engenheira de processos industriais Isabelle Diniz, responsável pelo Projeto.

 

Estes ônibus são do modelo 4 x 2, têm 12 metros de comprimento e são alimentados por até 5 Pacotes de Baterias. Com a absorção da nova tecnologia, a previsão é manter o nível de produção atual, com 11 chassis fabricados diariamente – sendo destes, três eletrificados. Os chassis de ônibus elétrico a serem ofertados ao mercado brasileiro serão os mesmos fabricados e comercializados atualmente na Europa – produzidos na unidade Scania localizada na Polônia.

 

“A pauta da sustentabilidade não pode ser adiada e no caso do transporte ela não depende somente do veículo, mas de outras variantes, como financiamento, infraestrutura e rede de distribuição, entre outras variáveis a serem consideradas”, comenta Podgorski.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo