Metal Mecânica

Uma a cada quatro pequenas indústrias usa o cheque especial pagar as contas

Uma a cada quatro micro e pequenas indústrias (MPI’s) do estado de São Paulo usou o cheque especial para o pagamento das contas, de acordo com a 9º Boletim de Tendências das Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo. O boletim é realizado pela Datafolha, a pedido do Sindicato de Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo (Simpi).

 

A pesquisa também revela que a crise gerada pela pandemia do coronavírus ainda é forte para 53% das micro e pequenas indústrias, com 83% das MPI’s sem acesso às linhas de crédito e 60% com interesse em linhas de crédito com garantia do Governo.

 

CHEQUE ESPECIAL – O boletim aponta que 25% das micro e pequenas indústrias do estado usaram o cheque especial para o pagamento das contas.

 

O uso do cheque especial é maior entre as micro indústrias, onde 27% afirmaram terem usado, enquanto nas pequenas indústrias apenas 12% usaram.

 

As micro e pequenas indústrias localizadas na Região Metropolitana usaram mais o cheque especial para esta finalidade (26%). No interior, esse percentual está em 24%.

 

AVALIAÇÃO DA CRISE – Para 53% das micro e pequenas indústrias a crise ainda é muito forte, afeta muito os negócios e não dá para prever quando a economia irá se recuperar. Outros 42% afirmam que a crise está mais fraca e que a economia irá se recuperar já nos próximos meses.

 

A crise é mais forte nas micro e pequenas indústrias que estão na Região Metropolitana, onde 57% apontam que a crise afeta muito os negócios.  No interior, este índice é de 49%.

 

A percepção de que a crise é menor está localizada principalmente nas micro e pequenas indústrias do interior do estado. No interior, a crise está fraca para 47% e na Região Metropolitana este índice é de 37%.

 

CRÉDITO – Subiu para 83% o número de micro e pequenas indústrias que não tem acesso a uma linha de crédito. Na edição anterior, o percentual era de 76%. Segundo pesquisa da Datafolha, as micro e pequenas indústrias que conseguiram crédito no começo da crise, não tiveram mais acesso ao longo dos últimos meses.

 

A pesquisa também aponta que 60% das MPI’s têm interesse em ter crédito com garantia do governo, que é o caso do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

 

 

Contudo, as MPI’s ainda enfrentam dificuldade de acesso. Apenas 9% conseguiram pedir e aprovar crédito nesta modalidade, enquanto 31% pediram e não foram aprovadas.

 

Dos 31%, o maior motivo de não aprovação foi o esgotamento dos recursos dos bancos (9%). Em seguida, foram pendências com outras dívidas (6%), pedido ainda está em análise (4%), o valor da prestação e juros estão acima do esperado (4%), empresa não conseguiu todos os documentos e certidões pedidos pelo banco (2%), porte e segmento da empresa não se encaixam na linha de crédito oferecida (2%), o banco não tem interesse em ofertar o crédito (1%), score baixo para crédito (1%) e outros (2%).

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo