Metal Mecânica

Abimaq projeta crescimento de 20% para a indústria de máquinas, apesar dos indicadores negativos de julho

perspectivaOs principais indicadores da indústria de máquinas e equipamentos recuaram no mês de julho de 2021 em comparação com o mês imediatamente anterior. A receita líquida total de R$ 17.051,91milhões em julho foi 4,3% menor que de junho; a receita líquida interna de R$ 13.108,34 milhões foi 4,6% menor; o consumo aparente de R$ 23.342,65 milhões foi 2,5% menor. As exportações caíram 4,4% para US$ 764,75 milhões e as importações recuaram 1% para US$ 1.740,93 milhões. Um dos poucos indicadores que cresceram em julho foi o número de trabalhadores contratados pelas indústrias do setor – no final do mês de julho havia 363,002 mil trabalhadores, 1,7% a mais que no mês de junho. Os dados foram divulgados pela Abimaq em coletiva online, no dia 25 de agosto.

Em que pesem os indicadores negativos de na passagem de junho para julho, a Abimaq mantém a projeção de crescimento para 2021. “Vamos crescer de 18 a 20% até o final do ano”, afirma José Velloso, presidente executivo da entidade. “Estamos otimistas”, complementa.

A economista da Abimaq, Cristina Zanella, explica que no curto prazo, mesmo com a inflação crescente, o aumento na taxa de juros, volatilidade do dólar e o risco de apagão, mantém a projeção de crescimento até porque a carteira de pedidos atual equivale a 11,2 semanas de atividades – quase 3 meses, embora tenha registrado queda na passagem de julho para julho de 2021. Porém, na comparação com julho do ano passado o volume de pedidos em carteira é 23,2% maior. O nível de ocupação da capacidade instalada manteve se estável em nível elevado – superior a 80% – de junho para julho de 2021.

EM PERSPECTIVA – Os dados relativos aos primeiros sete meses do ano também embasam as projeções otimistas da Abimaq. De janeiro a julho, a receita líquida total acumulada soma R$ 118.550,84 milhões, com crescimento de 34,3% na comparação com o mesmo período do ano anterior. A receita líquida interna de R$ 91.323,57 milhões é 45,7% maior que no mesmo período de 2020. O consumo aparente de R$ 168.256,70 milhões 22,3% maior.

O crescimento relativo tende a ficar menor à medida que o ano de 2021 avança porque a base de comparação torna-se mais alta. Mesmo assim, os índices de crescimento são consideráveis. A receita líquida total dos 12 últimos meses de R$ 202.313,72 milhões é 27% maior que nos 12 meses anteriores. A receita líquida interna de R$ 154.814,67 milhões é 37,8% maior na mesma base de comparação. Já o consumo aparente de R$ 283.699,91 milhões é 19,3% maior.

EXPORTAÇÕES – No mês de julho as vendas para o mercado externo indicam recuperação mais definida. No mês de julho, as exportações somaram US$ 764,75 milhões e são 26,3% maiores no mesmo mês de 2020. No acumulado até julho, as exportações totalizaram US$ 4.816,22 milhões, 22,4% a mais que no mesmo período de 2020. As exportações representam atualmente, 23% da receita total do setor.

Observa-se que no ano as exportações para os países da América Latina aumentaram 46,8%; as vendas para a China deram um salto espetacular de 275%; para os EUA o crescimento foi de 3,4% e para os países da zona do euro o aumento foi de 12,6%.

As importações de janeiro a julho totalizaram US$ 11.864,77 milhões, com crescimento de 15,3% em relação ao mesmo período de 2020. (Franco Tanio).

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo