Metal Mecânica

ArcelorMittal Brasil divulga lucro de R$ 9,1 bilhões em 2022

O ano de 2022 foi muito bom para a ArcelorMittal Brasil. Em função da base de comparação extremamente elevada de 2021, ano que se consolidou como o melhor da sua história, já era esperado um recuo significativo nos resultados no ano passado. O influxo, no entanto, representou apenas um retorno aos patamares de normalidade do mercado nacional de aço que, no entanto, se manteve em ritmo aquecido de produção e demanda.

 

Mesmo com a queda no consumo aparente de aço no país de 10,9% (para 23,4 milhões de toneladas), do recuo das vendas internas em 9,1% (para 20,2 milhões de toneladas) e do encolhimento da produção de aço bruto em 5,8% (para 34 milhões de toneladas), segundo balanço do Instituto Aço Brasil, ainda assim, 2022 mostrou-se como um ano de excelente performance para a ArcelorMittal Brasil.

 

A receita líquida da empresa subiu 3,8% em 2022, totalizando R$ 71,6 bilhões. O Ebitda, de R$ 14,9 bilhões, recuou de 26% sobre 2021, mas ainda suficiente para o alcance de uma margem Ebitda de significativos 21%. A produção de aço também foi expressiva, totalizando 12,7 milhões de toneladas de aço e 3,3 milhões de toneladas de minério, queda de 5,3% e 1,4% respectivamente em relação ao ano anterior.

 

O volume de vendas de aço diminuiu menos, para 12,4 milhões de toneladas (-0,9%) sendo que, desse montante, 7,4 milhões de toneladas (60%) foram destinadas ao mercado interno e 5,0 milhões (40%) ao mercado externo. No encerramento do ano, a empresa registrou significativo lucro líquido de R$ 9,1 bilhões (-33,4%). Os resultados incluem as operações brasileiras de aço e mineração e as operações das empresas controladas da Acindar, na Argentina, da Unicon, na Venezuela, e ArcelorMittal Costa Rica.

 

“Estes resultados foram possíveis por nossa resposta rápida e assertiva para períodos de oscilações, ajustando a produção com agilidade às demandas dos mercados nacional e internacional e implementando medidas para a preservação do caixa, redução de custos, otimização de processos e aumento da produtividade”, disse Jefferson De Paula, presidente da ArcelorMittal Brasil e CEO da ArcelorMittal Aços Longos e Mineração Latam.

 

INVESTIMENTOS – A empresa manteve seu programa de investimentos em expansão, o maior em andamento atualmente no setor siderúrgico brasileiro, de R$ 7,7 bilhões. O objetivo é o aumentar a capacidade instalada, modernizar a base industrial e capacitar as unidades para fabricação de aços tecnológicos e exclusivos, além de ampliar a produção de minério de ferro, entre 2022 e 2025.

 

A empresa está investindo R$ 2,5 bilhões na unidade Monlevade para quase duplicar a capacidade de produção, de 1,2 milhão para 2,2 milhões de toneladas/ano de aço bruto. Na Mina do Andrade, fornecedora de minério de ferro para a planta, a produção passará de 1,5 milhão para 3,5 milhões de toneladas/ano. Já na usina de Vega, em São Francisco do Sul (SC), R$ 1,9 bilhão é destinado para inserção de novos itens ao portfólio de produtos revestidos de alta resistência destinados aos setores automotivo e de eletrodomésticos, e a previsão é que seja inaugurada no 4º trimestre deste ano. Na Mina Serra Azul, em Itatiaiuçu, o aporte é da ordem de R$1,8 bilhão para elevar a produção de 1,6 milhão para 4,5 milhões de toneladas/ano de minério de ferro.

 

Na planta industrial de Barra Mansa, no Rio de Janeiro, os recursos somam R$ 1,3 bilhão para aumentar a fabricação de aço em 500 mil toneladas ao ano com ampliação do portfólio de produtos e soluções voltados aos mercados da indústria (setor automotivo e energia) e construção civil.  Na planta industrial de Sabará, os investimentos são de R$ 144 milhões, que permitirão aumentar a capacidade em 35% de trefilados.

 

CSP – Em 2022, a ArcelorMittal deu mais um passo importante para reforçar sua atuação no Brasil e iniciou o processo de  aquisição de 100% das ações da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), no Ceará. O negócio foi concluído em março de 2023, consolidando sua liderança como a maior produtora de aço do Brasil e da América Latina. A usina tem a capacidade de 3 milhões de toneladas/ano e está estrategicamente localizada no Complexo do Pecém, tendo acesso, via correias transportadoras, ao Porto do Pecém. Essa estrutura possibilitará a integração da unidade à rede global de produção de aço da ArcelorMittal. Foram investidos R$ 11,4 bilhões (US$ 2,2 bilhões) nessa aquisição. “Trata-se de um investimento estratégico, de grande sinergia com as operações globais do Grupo ArcelorMittal. Além disso, a ArcelorMittal Pecém também apresenta a oportunidade para a criação de um novo centro de produção de aço de baixa emissão de carbono, capitalizando a ambição do estado do Ceará de desenvolver um centro de hidrogênio verde de baixo custo”, afirma Jorge Oliveira, CEO da ArcelorMittal Aços Planos Latam.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo