Metal Mecânica

Avibras passa por processo de recuperação judicial, Exército anuncia compra de blindados da Iveco-Melara

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região protesta. É que mais de mil trabalhadores da Avibras estão desde julho sem receber salários, enquanto o Exército brasileiro anunciou a assinatura de um contrato de 900 milhões de euros (R$ 5 bilhões) para a compra de 98 veículos blindados do consórcio italiano Iveco-Melara. Sem investimentos do governo federal, a empresa brasileira, com sede em Jacareí (SP), passa por um processo de recuperação judicial.

A Avibras é reconhecida e certificada pelo Ministério da Defesa como estratégica para o Brasil. É a maior empresa privada em seu segmento. Segundo o Sindicato, além de veículos blindados, como os que serão comprados do consórcio italiano, a Avibras produz mísseis, lançadores de foguetes, bombas inteligentes, sistemas de comunicação por satélite e Veículos Aéreos Não Tripulados (Vants).

“(O presidente) Bolsonaro mostra toda sua contradição ao escolher empresas italianas para um contrato tão valioso para a indústria nacional. Os trabalhadores da Avibras estão passando por severas dificuldades financeiras e não têm qualquer apoio do governo. O Sindicato reafirma sua posição em favor de uma política contra a desindustrialização do país e pela estatização da Avibras”, afirma o presidente do Sindicato, Weller Gonçalves.

Os investimentos públicos na Avibras poderiam ser decisivos para a retomada das atividades da empresa e o pagamento dos funcionários, que desde setembro estão em greve contra a falta de salários. A compra de blindados do consórcio italiano revela a contradição do atual governo, que sempre se posicionou como um “patriota” e a favor da indústria nacional. A assinatura do contrato está prevista para 5 de dezembro.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região chegou a enviar, em março, um pedido de reunião com o presidente Jair Bolsonaro (PL) para discussão sobre a situação da Avibras, mas não obteve retorno. No dia 18 de novembro, a entidade enviou uma carta ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e aguarda resposta.

Hoje, 1º de novembro, às 12h, acontecerá a assembleia virtual de credores da Avibras, que incluem os trabalhadores, Banco do Brasil, BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e fornecedores. Somente a dívida trabalhista está acumulada em R$ 14,5 milhões.

A primeira chamada da assembleia aconteceu no dia 22, mas não houve quórum. A chamada de hoje acontecerá mesmo se não houver número suficiente de participantes.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo