Eletrônica e Informática

Bairro de Foz do Iguaçu é vitrine tecnológica a céu aberto

Tido como o bairro mais “inteligente” do Brasil, o bairro Itaipu A, na cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, dá mais um passo para consolidar esta famae se tornar, de fato, a grande vitrine nacional de inovações e experimentações tecnológicas, a céu aberto.

O bairro está agora sediando um projeto que prevê a realização de testes massivos com carros elétricos, que circularão em diversos horários do dia e da noite por suas ruas que foram fartamente dotadas de câmeras, semáforos e pontos de ônibus inteligentes, dentro do Programa Vila A Inteligente.

As tecnologias foram instaladas pela Tmovi Electric Mobilidade e outras cinco empresas. Criada na cidade de Toledo, também no Paraná, a Tmovi, que está transferindo sua fábrica para um distrito industrial de Foz do Iguaçu e é conhecida pelo arrojo de suas inovações tecnológicas, também fornecerá os carros elétricos para os testes na Vila A Inteligente. Eles serão quatro até o fim deste ano.

De acordo com Elias Rodrigues Melo, CEO da Tmovi, há algumas características que destacam da concorrência os veículos elétricos da empresa: eles são leves, sustentáveis, silenciosos e, principalmente, têm um baixo consumo energético para descolamentos dentro dos centros urbanos.

“Nossos veículos pesam menos de 400 quilos e precisam de pouca energia para um deslocamento”, explica Melo. “Por isso, ele ainda é mais ecológico do que os similares. Além do mais, por ser um veículo menor, é mais fácil de estacionar”.

Para garantir a mobilidade dos veículos durante os testes, foi necessário instalar alguns pontos para carregar os carros. Não foi uma tarefa muito complicada. Os veículos da Tmovi apresentam o diferencial de serem carregados com tomadas comuns, de 110 v e 220v, ao contrário da maioria dos outros veículos elétricos, que dependem de eletropostos para serem carregados.

“Isso também é uma grande vantagem, pois assim acaba sendo muito mais prático para o usuário”, afirma o executivo, segundo quem a ideia da empresa é disponibilizar os veículos da marca para o poder público e empresas.

Os testes servirão para a Tmovi, além de obviamente divulgar a marca, medir a receptividade da população quanto aos veículos elétricos e testar a tecnologia em uso contínuo, principalmente a parte de controle e telemetria veicular. Estratégica para o desenvolvimento dos carros do futuro, a telemetria coleta informações de um veículo de forma remota como velocidade, distância, localização e consumo.

SANDBOX Para Regean Gomes, gerente do Centro de Empreendedorismo do Parque Tecnológico Itaipu da Incubadora Santos Dumont, o bairro Itaipu A já é hoje o maior sandbox- plataforma de testes onde as aplicações podem ser alteradas sem interferir no meio de produção – do Brasil, mas vai começar a funcionar cada vez mais, também, como uma plataforma de negócios, promovendo interação entre sociedade, empresas, órgãos públicos, investidores, demandantes e ofertantes de tecnologias, especialmente as mais avançadas.

“Essas empresas, com suas soluções tecnológicas sendo testadas aqui, trarão ainda mais visibilidade para o Programa Vila A Inteligente”, diz Gomes. “Isso vai atrair mais startups interessadas em se instalar aqui no município. É um passo importante para o crescimento e a diversificação econômica de Foz de Iguaçu”.

Implantado no ano passado, o programa Vila A Inteligente visoutornar o bairro Itaipu A em um ambiente de testes e validações de tecnologias na promissora área de Cidades Inteligentes. O bairro é, originalmente, uma das três vilas criadas pela Itaipu para abrigar os trabalhadores e suas famílias na época da construção da usina.

A iniciativa é fruto de uma parceria entre a Itaipu Binacional, o Parque Tecnológico Itaipu, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a prefeitura de Foz do Iguaçu, e integra as ações do Programa Acelera Foz, cujo objetivo é diversificar a economia de Foz do Iguaçu e tornar a cidade um polo de inovação e empreendedorismo.

Foram instalados, inicialmente, dez tecnologias, com um investimento de mais de R$ 10 milhões, sendo R$ 6 milhões da ABDI e R$ 4 milhões da Itaipu.O projeto Vila A Inteligente tem duração prevista de 36 meses e, na primeira fase, estão sendo instaladas soluções em quatro áreas temáticas.

A primeira, de Segurança Pública, envolve luminárias inteligentes com monitoramento de pessoas por reconhecimento facial e monitoramento de veículos por reconhecimento de placas. Na área de Mobilidade, o bairro vai contar com semáforos, pontos de ônibus e estacionamentos inteligentes.

Já na área Ambiental, estão sendo implementadas tecnologias para o monitoramento climático e ambiental da Vila A. A quarta área, de Integração com a Comunidade, abrange a disponibilização de rede wi-fi pública e o desenvolvimento de um aplicativo com funções como botão de pânico, acompanhamento da rota dos caminhões de coleta seletiva e informações sobre o transporte coletivo. (texto: Alberto Mawakdiye/foto: Divulgação)

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo