Eletrônica e Informática

BNDES aprova financiamento de R$ 37,5 milhões para fabricante de pás eólicas

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou um financiamento de R$ 37,5 milhões para a Aeris, empresa brasileira fabricante de pás eólicas localizada no município do Pecém (CE), que concentra mais de 50% do total potencial eólico brasileiro, segundo dados da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica).

 

Os recursos serão destinados, principalmente, à aquisição de materiais industrializados de origem nacional utilizados em sua atividade produtiva, a fim de que a empresa possa cumprir contratos de venda de pás a clientes no período entre 2020 e 2022. Em razão desses contratos, a empresa fechará 2020 com mais de 5 mil colaboradores, acima dos 3.627 em 2019.

 

A ação integrada do BNDES, principal fomentador da energia eólica no Brasil, tem levado a importante crescimento desse tipo de energia na matriz energética brasileira, diz Marcos Rossi, superintendente da Área de Indústria, Serviços e Comércio Exterior. “Dentro dessa ação, destaca-se o apoio à cadeia produtiva nacional, constituída por fabricantes de diversos componentes, que tem ganhado densidade, com algumas empresas projetando-se internacionalmente”.

Em 2019, a matriz elétrica brasileira, que compreende todas as modalidades de energia, teve uma expansão da capacidade de geração de 8.832 MW, dentre os quais 5.622 MW, 64% do total, correspondem a projetos financiados pelo BNDES.  No ano passado, o BNDES contratou 1.164 MW em projetos eólicos, o suficiente para atender à demanda de 2,2 milhões de residências. Em seu histórico de atuação no setor, o BNDES já apoiou 109 complexos eólicos com 14,4 GW de capacidade de geração energética e com valores de financiamentos contratados que somam R$ 42,9 bilhões, para investimentos totais de R$ 71,7 bilhões.

 

O Brasil conta com uma cadeia produtiva consolidada e capacitada para atender à demanda por aerogeradores, que representam entre 64% e 84% do investimento total nos parques eólicos. Grandes fabricantes de aerogeradores têm fábricas na região Nordeste do Brasil e os modelos das máquinas que produzem são de última geração.

 

SETOR EÓLICO – Segundo o Boletim Anual de Geração Eólica da ABEEólica, em 2019 foram instalados 38 novos parques eólicos, num total de 744,95 MW de nova capacidade. O ano de 2019 terminou com 620 usinas no total, 15,45 GW de potência eólica instalada e com US$ 3,45 bilhões investidos em novos projetos no setor eólico, representando 53% dos investimentos realizados em fontes renováveis no Brasil. Segundo o relatório anual da Global Wind Energy Council (GWEC), sigla para Conselho Mundial de Energia Eólica, em 2019 o Brasil subiu uma posição no ranking mundial de capacidade eólica acumulada, ocupando agora a sétima posição. No ranking de nova capacidade instalada naquele ano, o Brasil ficou na décima segunda posição. A nova capacidade eólica instalada em 2019 fez a fonte atingir uma participação de 9,1% da matriz elétrica brasileira.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo