Eletrônica e Informática

Data centers consomem de 1 a 3% de energia do mundo, mas é possível torná-los mais eficientes

A indústria de data centers atualmente consome entre 1% a 3% da eletricidade do mundo e é responsável por 0,5% das emissões de CO2, mas poderia haver um aumento para até 20% até 2025, de acordo com informações citadas pela Data Center Market.

Uma da história de sucesso mais palpáveis na região com relação à implementação de tecnologias mais eficientes foi a da Telefónica S.A., uma das maiores empresas de telecomunicações do mundo, que precisava atualizar a infraestrutura de seu data center localizado na Colômbia.

A empresa estava buscando uma solução customizada que incluísse sistemas de gerenciamento térmico, distribuição de energia e monitoramento, bem como instalação e serviços de suporte profissionais, para implementar soluções de refrigeração eficientes para o data center na sede em Celta. A Telefónica não apenas modernizou sua infraestrutura, mas também alcançou uma redução no consumo de energia de 68 kW/h para 41 kW/h e 40% de economia no consumo de energia das unidades de tratamento de ar aproveitando as vantagens do chiller de free-cooling.

Dados da indústria mostram que os sistemas de gerenciamento térmico são responsáveis por uma média de 40% do total do consumo de energia em um data center. Sistemas de refrigeração eficientes, como os da Telefónica, podem reduzir consideravelmente o consumo de energia do data center relacionado aos sistemas de gerenciamento térmico.

AVANÇOS – Para a América Latina e o Caribe, a busca por eficiência energética no setor de tecnologia é um desafio constante uma vez que a demanda por serviços de energia deve dobrar nos próximos 20 anos, de acordo com o BID.

A busca por sustentabilidade se tornou uma questão crítica para a indústria e, por esse motivo, diversas empresas adotam o uso de infraestrutura de data centers mais eficiente e mais sustentável. Por exemplo, uma empresa chilena de mineração implementou sistemas de alimentação de energia ininterrupta (UPS) Vertiv Liebert APM com baterias de íon-lítio o que lhe permitiu reduzir seus custos operacionais e sua pegada de carbono.

Em outro caso, uma das maiores organizações de TI na América Latina reduziu consideravelmente suas emissões de carbono ao implementar sistemas de gerenciamento térmico de alta eficiência e fontes renováveis de energia, contribuindo para uma excelente PUE (eficácia no uso de energia) de 1,08.

Já uma empresa paraguaia desenvolveu uma solução para alimentar estações rádio base móveis através de energia solar, permitindo que ela proporcionasse um fornecimento de energia mais confiável em uma área com baixa densidade populacional e sem a existência de serviços de telefonia. Os resultados do projeto incluíram a implementação de refrigeração otimizada para data centers e um crescente aumento na eficiência energética.

TECNOLOGIAS EFICIENTES – Como consequência do crescimento na construção de data centers na América Latina a uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 7,52% entre 2021 e 2026, de acordo com a Mordor Intelligence, a implementação de tecnologias que reduzam a pegada de carbono deve ser uma prioridade na região. Algumas destas estratégias incluem:

– Uso de energias renováveis: A adoção de fontes renováveis, como energia solar e eólica, pode ter um impacto significativo na redução da pegada de carbono.

– Designs modulares: A infraestrutura modular de data centers está ganhando terreno dentro das estratégias de sustentabilidade dos operadores graças à sua habilidade de adicionar capacidade relativamente rápido em comparação a outras opções e à capacidade de integrar novas tecnologias eficientes nos processos de design e de fabricação, como a refrigeração liquida e os sistemas de energia inteligentes.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo