Eletrônica e Informática

Engenheiras recebem apoio para atuar na indústria eletrônica, mas sub-representação persiste

A Newark, representada no Brasil pela LATeRe, divulgou os resultados da pesquisa “Women in Engineering 2021”. De acordo com o estudo da Newark, uma empresa da Avnet Company, há um apoio positivo para mulheres de todos os gêneros na engenharia e uma grande semelhança entre as opiniões de homens e mulheres sobre a necessidade de abordar a igualdade de gênero. Embora as mulheres continuem sub-representadas na indústria de engenharia/eletrônica, a pesquisa destacou que as pessoas acreditam que o mais importante é alcançar o tratamento igual para todos os gêneros.

A pesquisa  – realizada com mais de 370 pessoas em todo o mundo – mostrou que todos os gêneros têm visões semelhantes sobre os benefícios que as mulheres trazem para a indústria de engenharia e acreditam que a desigualdade precisa ser vencida. Um passo importante para lidar com a desigualdade é introduzir mais mulheres em posições de liderança, onde elas possam atuar como modelos e mentoras para outras mulheres na indústria. As mulheres vivenciam claramente o sexismo na engenharia e todos os gêneros estão unidos e acreditam que isso não deveria acontecer. Os entrevistados de outros gêneros mostravam-se mais a favor da implementação de políticas de igualdade mais fortes e mais rigorosas para prevenir o sexismo no local de trabalho.

Embora a pesquisa tenha mostrado forte concordância em muitas questões, algumas diferenças importantes foram descobertas. A pesquisa revelou que as mulheres eram mais propensas a citar o bom salário como um benefício de trabalhar na engenharia, no entanto, elas acreditam que a disparidade salarial entre homens e mulheres ainda é um problema. As mulheres também estavam menos preocupadas com a necessidade de viajar para trabalhar do que os outros gêneros pensam. Apenas 15% das mulheres pesquisadas sugeriram que a redução de viagens seria útil, em comparação com 25% de todos os outros entrevistados que acreditam que isso seja importante para as mulheres.

A Newark, em parceria com element14.com, uma comunidade da Avnet, realizou a pesquisa aberta a todos os gêneros e durou três meses entre março e maio de 2021. A maioria dos entrevistados tinha entre 25 e 54 anos e pouco mais da metade disse ter mais de 10 anos de experiência no setor.

“A indústria percorreu um longo caminho, mas sempre podemos fazer um trabalho melhor, e o trabalho nunca termina. Isso se concentra na igualdade e justiça para todos. As mulheres nos disseram que não querem fazer parte de uma cota – elas querem ser reconhecidas pelo que fazem e ter a oportunidade de mostrar o que podem fazer. Esta é uma mensagem extremamente importante para divulgar”, afirma Rob Rospedzihowski, presidente de Vendas da Farnell EMEA.

“Esta importante pesquisa nos permitiu obter percepções valiosas diretamente de membros de nossa indústria, permitindo-nos compreender melhor o que está funcionando bem para as mulheres no local de trabalho e o que poderia ser melhorado. A pesquisa identificou alguns desafios claros para o nosso setor, no entanto, os resultados também ofereceram uma perspectiva positiva para o futuro, com ambos os sexos apresentando pontos de vista unidos sobre questões atuais, como a necessidade de aplicar políticas de igualdade mais fortes. Estamos ansiosos para compartilhar algumas das incríveis histórias de sucesso de mulheres que já estão realizando grandes feitos em nosso setor. As mulheres devem ter confiança em si mesmas e em suas habilidades para continuar inspirando outras pessoas e para impulsionar mudanças positivas na engenharia ”, afirma Dianne Kibbey, chefe Global de Comunidade e Mídia Social da element14.

A pesquisa revelou muitas histórias de sucesso que mostram como as mulheres estão contribuindo para a indústria de eletrônicos.

“Durante o meu tempo como estagiária, trabalhei/fui responsável por projetos para algumas empresas maiores. Alguns desses projetos valiam mais de US$ 1 milhão. Tudo isso foi feito enquanto frequentava a escola em tempo integral e trabalhava em tempo integral.”

“Minha maior conquista foi pegar uma unidade de negócios de fabricação de eletrônicos falida e transformá-la completamente. A segunda foi assumir um papel de liderança e estabelecer um recorde de mais engajamento e satisfação dos funcionários na empresa de manufatura.”

“Assumir um projeto que estava falhando, que incluía a criação de uma nova API com um terceiro, e transformá-lo até que a empresa para a qual eu trabalhava no passado ganhou um prêmio por sua entrega bem-sucedida.”

“Escrever um programa de exibição de osciloscópio para mostrar os resultados dos dados coletados de testes em um monitor quando os osciloscópios eram apenas analógicos e não tinham nenhuma maneira de aceitar qualquer tipo de fonte de dados externa.”

Houve uma resposta esmagadora de todos os gêneros, incentivando as mulheres a serem mais confiantes, confiar em suas habilidades e assumir o desafio de trabalhar na engenharia. Alguns dos principais fatores que levam as mulheres a desfrutar de uma carreira na engenharia incluem a oportunidade de trabalhar em diversos projetos (23%), tendo uma prévia do que está por vir em tecnologia e ver isso ganhar vida (15%), flexibilidade e trabalho / equilíbrio de vida (12%). (Franco Tanio)

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo