Eletrônica e Informática

Fonte solar fotovoltaica já representa 10,5% da matriz elétrica do Brasil

O Brasil ultrapassou uma nova marcade 21,1 gigawatts (GW) de potência instalada da fonte solar fotovoltaica, somando as usinas de grande porte e os sistemas de geração própria de energia elétrica em telhados, fachadas e pequenos terrenos, o equivalente a 10,5% da matriz elétrica do país.

Segundo mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), de janeiro ao início de outubro deste ano, a energia solar cresceu 52,2%, saltando de 13,8 GW para 21,1 GW. E, nos últimos 120 dias, o ritmo de crescimento tem sido praticamente de um GW por mês, o que coloca a fonte na terceira posição da matriz elétrica brasileira (julho: 16,4 GW, agosto: 17,5 GW, setembro: 18,6 GW, outubro: 21,1 GW).

De acordo com a entidade, a fonte solar já trouxe ao Brasil cerca de R$ 108,6 bilhões em novos investimentos, mais de R$ 28,7 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e gerou mais de 630 mil empregos acumulados desde 2012. Com isso, também evitou a emissão de 29,9 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.

Para Rodrigo Sauaia, CEO da Absolar, o crescimento da fonte solar é a combinação perfeita entre sustentabilidade e energia barata, aspectos fundamentais na tomada de decisão dos consumidores e do setor produtivo.

“Finalmente, o Brasil acordou para a energia solar e seus benefícios, cujo crescimento acelerado colocará em breve a fonte fotovoltaica na segunda posição da matriz elétrica brasileira”, comenta. “A fonte ajuda a diversificar o suprimento de energia elétrica do país, reduzindo a pressão sobre os recursos hídricos e o risco de ainda mais aumentos na conta de luz da população”, acrescenta Sauaia.

O Brasil possui mais de 6,7 GW de potência instalada em usinas solares de grande porte. Desde 2012, as grandes usinas solares já trouxeram ao Brasil cerca de R$ 29,9 bilhões em novos investimentos e mais de 201 mil empregos acumulados, além de proporcionarem uma arrecadação aos cofres públicos que supera R$ 10,4 bilhões.

No segmento de geração própria de energia, são praticamente 14,4 GW de potência instalada da fonte solar. Isso equivale a cerca de R$ 78,8 bilhões em investimentos, R$ 18,3 bilhões em arrecadação e mais de 431 mil empregos acumulados desde 2012, espalhados pelas cinco regiões do Brasil. A tecnologia solar é utilizada atualmente em 99,9 % de todas as conexões de geração própria no país, liderando com folga o segmento.

Os consumidores brasileiros que pretendem instalar sistemas de energia solar em residências, empresas, propriedades rurais e até prédio públicos têm menos de 80 dias para solicitar o sistema fotovoltaico antes das mudanças de regras aprovadas pelo Congresso Nacional.

“O crescimento acelerado da energia solar em residências e pequenos negócios é impulsionado principalmente pelo alto custo da energia elétrica no país, além do barateamento dos preços dos equipamentos e das regras da nova lei, que garante até 2045 a manutenção das condições atuais aos consumidores que instalarem um sistema solar no telhado até janeiro de 2023”, conclui Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da Absolar.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo