Eletrônica e Informática

Imensa maioria dos brasileiros espera que o mercado de trabalho verde cresça nos próximos cinco anos

Os brasileiros são um pouco mais propensos a acreditar que a tecnologia criará empregos (71%), em vez de reduzir (65%). Olhando as áreas de trabalho que devem se destacar, 4 em cada 5 (84%) concordam que as Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática – Stem na sigla em inglês – são o futuro do trabalho.

Essas são algumas das descobertas da pesquisa 3M State of Science Insights 2024, realizada pela Morning Consult a pedido da 3M.

 

Os dados demonstram que os empregos verdes sinalizam esperança e oportunidade em meio às crescentes ansiedades globais provocadas pelos efeitos das mudanças climáticas. Eles são vistos como tendo o potencial de mitigar os impactos negativos do clima, de beneficiar as pessoas criando futuras oportunidades de emprego e de impulsionar o crescimento econômico tanto da sociedade como de indivíduos.

 

“Existe um sentimento universal de entusiasmo e respeito pelos empregos verdes – e estamos assistindo a um interesse crescente do mundo na aprendizagem de competências verdes, bem como de pessoas que estão encontrando formas de incorporar essas competências nas suas carreiras existentes”, comenta Paulo Gandolfi, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento para a 3M América Latina.

 

Os empregos verdes são acessíveis e inclusivos em todos os grupos demográficos. Quer seja vista através das lentes do empregador ou do empregado, a “Geração Verde” é uma mentalidade, não uma faixa etária, evidenciada pelo fato de 80% acreditarem que as pessoas em todas as fases da carreira devem procurar empregos verdes.

 

No Brasil, 85% acreditam que os empregos verdes proporcionam novas e emocionantes oportunidades de trabalho, que têm um impacto positivo na sociedade (87%) e impõem respeito por aqueles que os desempenham (90%). O interesse em aprender competências verdes é generalizado, com 84% das pessoas que gostariam de aprender habilidades sustentáveis que as pudessem ajudar a conseguir um emprego verde, e 71% também acreditam que não precisam de uma mudança de carreira para desempenhar um emprego verde.

 

Para as empresas que procuram fechar lacunas na sua força de trabalho, o interesse em competências verdes é elevado, embora um terço não se sinta capacitado (29%) para fazer escolhas que promovam práticas sustentáveis nas suas funções atuais, nem pense que as empresas estão bem equipadas para ajudar a descobrir como promover e fazer a transição dos trabalhadores para empregos verdes (43%). No entanto, há uma coisa com a qual a maioria das pessoas (83%) concorda: é crucial criar uma dinâmica entre empregadores e trabalhadores para o desenvolvimento de competências verdes.

 

Outros dados interessantes sobre o que o brasileiro pensa sobre trabalho e seu futuro:

– 86% concordam que é importante ter uma força de trabalho diversa.

– Os empregos Stem são o segundo tipo de trabalho mais provável a ser recomendado (89%), atrás apenas das carreiras técnicas (93%).

Quando os empregos Stem são recomendados, é porque a área oferece salários elevados e está em crescimento. Há também a crença de que as competências Stem desempenham um papel cada vez maior em todos os empregos.

– 88% esperam que o mercado de empregos verdes cresça nos próximos 5 anos.

– Quando empregos verdes são recomendados é porque os brasileiros os veem como um mercado em crescimento do qual o mundo mais precisa.

 

“À medida que a força de trabalho evolui, o mesmo acontece com as necessidades relativas a ela. A inovação e a criatividade são impulsionadas pela diversidade de pensamento e de pessoas. Temos de trazer diferentes experiências e perspectivas para as carreiras técnicas e as profissões Stem de forma a apoiar a criação de uma comunidade científica mais diversa e um mundo mais positivo por meio da ciência. Isto é algo com que estamos profundamente comprometidos na 3M. Temos programas que ajudam as gerações mais jovens, educando-as sobre as oportunidades disponíveis nestes campos”, complementa Gandolfi.

 

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE – A pesquisa também traz dados relacionados ao meio ambiente e sustentabilidade. Enfrentar as mudanças climáticas é importante para quase todos os brasileiros (96%), e nove em cada dez concorda que a ciência pode desempenhar um papel essencial na atenuação dos impactos.

Para ajudar a dimensionar a questão, a maioria pensa que as alterações climáticas são uma das maiores ameaças para a humanidade (87%) e, à medida que os impactos das alterações climáticas se aproximam, a questão torna-se também mais pessoal. Mais da metade afirma já ter sido afetada pelas alterações climáticas (53%) e um quarto (24%) acredita que a sua comunidade será afetada nos próximos dez anos.

 

A principal preocupação sobre o impacto das mudanças climáticas é a falta de água limpa (48%%), seguida pelos eventos climáticos extremos (41%), como furacões, incêndios e enchentes, as mudanças de longo prazo da temperatura e dos padrões meteorológicos (35%) e os problemas de saúde relacionados com as alterações climáticas (32%).

 

No que diz respeito às soluções de atenuação das mudanças climáticas, os níveis de sensibilização das pessoas são notoriamente mais elevados do que a sua vontade pessoal de aprender mais. Os transportes limpos (83%) são a solução mais reconhecida, com 73% dos brasileiros que desejam saber mais sobre o assunto. A energia e os combustíveis renováveis (80%) têm o maior nível de conscientização, com 74% que querem expandir os conhecimentos sobre a solução, empatado com a energia e os combustíveis renováveis. E os edifícios e infraestruturas sustentáveis são a terceira solução mais reconhecida (66%), com o mesmo percentual que deseja aprender mais.

 

A pesquisa revelou que as pessoas esperam que as empresas conduzam a mudança que desejam ver: 92% acreditam que as companhias precisam se empenhar mais na utilização de materiais sustentáveis e 82% exigem transparência por parte das empresas que afirmam compromissos sustentáveis. A boa notícia para as empresas? Sugere-se que as práticas sustentáveis criam uma vantagem competitiva, com 82% mais propensos a procurar ativamente produtos feitos de materiais sustentáveis ou a comprar de empresas com um compromisso com o ambiente (67%).

 

A pesquisa foi realizada entre 13 e 24 de dezembro passado com uma amostra de 1.003 adultos brasileiros. As entrevistas foram realizadas online e os dados foram ponderados para aproximar uma amostra-alvo de adultos alfabetizados com base em gênero, nível de escolaridade, idade e região.

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo