Eletrônica e Informática

Indústria eletroeletrônica registra aumento de 18% na produção

A produção física da indústria elétrica e eletrônica cresceu 18,4% no acumulado dos primeiros quatro meses de 2021 em comparação com o igual período do ano passado, de acordo com dados do IBGE agregados pela Abinee. Este incremento contou com a elevação de 24,1% da área elétrica e com o acréscimo de 12,3% da área eletrônica.

Todas as áreas do setor apontaram taxas positivas em relação ao primeiro quadrimestre de 2020. Na área elétrica, os maiores crescimentos foram na produção de eletrodomésticos (+41,9%) e nas pilhas e baterias (+36,6%).

Em seguida, verificaram-se aumentos na produção de equipamentos para distribuição e controle de energia elétrica (+11,9%), nos geradores, transformadores e motores (+10,9%) e nas lâmpadas e outros equipamentos de iluminação (+8,0%).

No caso dos equipamentos elétricos não especificados, em que estão classificados os aparelhos elétricos de alarme para proteção contra roubo ou incêndio e eletrodos, escovas e outros artigos de carvão ou grafita para usos elétricos, o acréscimo foi de 14,6%.

Na área eletrônica, os incrementos mais expressivos foram verificados na produção de bens de informática (+36,0%), de instrumentos de medida (+24,5%) e de equipamentos de comunicação (+9,7%). Crescimentos mais modestos foram registrados na produção de componentes eletrônicos (+1,9%) e de aparelhos para áudio e vídeo (+0,4%).

 

ABRIL – No mês de abril de 2021, a produção da indústria elétrica e eletrônica caiu 1,8% em relação ao mês anterior, com ajuste sazonal. Essa queda foi resultado do recuo de 2,5% da área elétrica e da retração de 1,0% da área eletrônica.

Na comparação com abril de 2020, a produção do setor aumentou 68,5%. Essa foi a maior variação percentual observada desde o começo dessa série histórica, iniciada em janeiro de 2002. Porém, essa taxa de crescimento expressiva contou com a base fraca de comparação, uma vez que em abril de 2020, as indústrias praticamente pararam as suas atividades devido às medidas restritivas decorrente da pandemia de Covid-19.

Ainda comparando a produção do setor com abril do ano passado, a área elétrica apontou acréscimo de 79,2% e a eletrônica expansão de 57,4%. Todas as áreas registraram taxas positivas muito elevadas, atingindo até 272,9%, como no caso de eletrodomésticos.

Na área elétrica, além dos eletrodomésticos, destacou-se o incremento de 100% na produção de pilhas e baterias.

Em seguida, foram observados acréscimos na produção de geradores, transformadores e motores elétricos (+34,9%), lâmpadas e outros equipamentos de iluminação (+20,1%) e de equipamentos para distribuição e controle de energia elétrica (+16,4%),

No segmento de equipamentos elétricos não especificados a expansão foi de 27,7%.

Na área eletrônica, o principal destaque foi a elevação de 92,8% na produção de instrumentos de medida. Verificaram-se também incrementos significativos na produção de bens de informática (+64,9%) e nos aparelhos de áudio e vídeo (+62,2%).

Em seguida, vieram os componentes eletrônicos (+37,3%) e os equipamentos de comunicação (+27,7%).

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo