Metal Mecânica

Produção da indústria brasileira de fundição cresce quase 20%

Boa notícia para a indústria brasileira de fundição. A produção de fundidos no país acumulou uma expressiva alta de 19,7% de janeiro a abril, no comparativo com os mesmos meses de 2020. Em peso, foram exatamente 807.372 t em 2021, contra as 674.670 t fabricadas no ano passado.

Os dados são da Associação Brasileira de Fundição (Abifa), segundo a qual, no entanto, esses números ainda devem ser vistos com alguma cautela. E realmente, houve uma pequena queda em abril na comparação com março. Em abril, a produção do setor foi de 211.977 t (entre ferro fundido, aço e metais não ferrosos), o equivalente a uma queda de -2,4% com relação a março de 2021, mas um crescimento de 51,4% sobre abril de 2020.

“O problema é que, entre abril e março deste ano, a indústria automotiva, principal consumidora de fundidos no Brasil – ela consome aproximadamente 56% dos produtos que fabricamos -, sofreu uma queda de 5% em sua produção, principalmente pela falta de componentes eletrônicos. Isso fez cair por tabela a demanda de peças fundidas”, explica Afonso Gonzaga, presidente da Abifa.

Gonzaga ainda observa que a alta interanual de 51,4% também tem algo de artificiosa, na medida que em abril de 2020 os efeitos da pandemia começavam a ser sentidos no país. Na indústria de fundição, entre abril e março de 2020, a queda da produção foi da ordem de -21,4%, sendo que abril foi o pior mês do ano passado, com o volume produzido alcançando apenas 139.997 toneladas.

 

MERCADO INTERNO – As vendas de janeiro a abril de 2021 concentraram-se no mercado interno, que absorveu 589,3 mil t de fundidos, quase 86% do total produzido. No comparativo com o mesmo período de 2020, a alta foi de 17,4%. O consumo interno respondeu por 589,3 mil t de fundidos entre janeiro e abril de 2020.

Já as exportações brasileiras de fundidos totalizam 115.600 t no acumulado de 2021, representando 14,3% da demanda do setor.No comparativo com 2020, os embarques aumentaram 35,4% (em peso). Segundo a Abifa, os números referentes à exportação poderiam ser melhores, se os efeitos da pandemia no mercado internacional não continuassem ainda presentes, embora menos do que em 2020. Em valores, a alta foi de 43,6% em relação ao mesmo período de 2020.

De qualquer forma, o setor vem apresentando um cenário promissor no que diz respeito à oferta de empregos. O número de colaboradores empregados na indústria brasileira de fundição aumentou mais uma vez, ficando em 60.076 pessoas em abril, contra 59.122 em março de 2021 e 54.155 em abril de 2020.

A indústria de fundição fatura por ano, normalmente, cerca de US$ 7 bilhões no Brasil. As empresas, em grande parte, são familiares. Com a profunda crise da indústria automobilística, principal segmento consumidor de peças fundidas, houve um desmonte parcial da cadeia produtiva do setor, com diversas empresas sendo obrigadas a recorrer à recuperação judicial ou até mesmo fechar as portas. (texto: Alberto Mawakdiye/foto: divulgação/Nardini)

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo