Metal Mecânica

Indústrias Romi comemoram 90 anos

A Romi comemorou 90 anos de atividades no dia em 29 de junho de 2020. A companhia atua no desenvolvimento de máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos e é fornecedora de itens fundidos e usinados, contando com uma equipe de profissionais atuantes em 13 unidades fabris no Brasil e na Alemanha e subsidiárias localizadas nos Estados Unidos, na Itália, na Alemanha, na Inglaterra, na Espanha, na França e no México.

 

Vários eventos foram realizados para celebrar a data, como o desenvolvimento de um selo comemorativo, vídeos produzidos pelos funcionários e a instalação de letreiros #romi90anos. Nas redes sociais, posts sobre fatos históricos e o concurso cultural “90 anos de histórias” foram algumas das ações realizadas.

 

“Estou certo de que cada um de nós sente orgulho em fazer parte da construção dessa admirável história. Somos uma empresa brasileira que produz bens de capital e exporta os seus produtos para todos os lugares do mundo. Em cada adversidade ao longo desses 90 anos, a Romi foi se transformando e se modernizando, sempre ficando mais forte a cada década, graças a uma cultura inovadora e ao engajamento de todo o time de funcionários, dos parceiros de negócio e do apoio de toda a comunidade”, diz Luiz Cassiano Rando Rosolen, diretor-presidente da Romi.

 

Com cerca de 160 mil unidades produzidas e comercializadas, as máquinas Romi são distribuídas por todos os continentes – aproximadamente 30 mil máquinas foram exportadas ao longo desses dessas nove décadas. Nos últimos anos, a Romi tem investido em tecnologias alinhadas com as perspectivas da Indústria 4.0, além do desenvolvimento de soluções de conectividade em todos seus equipamentos, proporcionando relevante aumento de produtividade ao cliente final. Duas das unidades fabris da Romi estão localizadas na Alemanha e são parte da Burkhardt+Weber Fertigungssysteme GmbH (“B+W”), importante e tradicional fabricante alemã de máquinas-ferramenta que faz parte do grupo Romi desde 2012.

 

Aliás a B+W venceu a 27ª edição do concurso alemão de inovação Top 100 nas categorias “Gestão para promoção da inovação” e “Organização e processos inovadores” para empresas com mais de 200 funcionários.

 

As empresas participantes são avaliadas em mais de 120 itens. Eles devem demonstrar a forma como organizam os processos de inovação na empresa, como estimulam o ambiente de trabalho dos funcionários para serem criativos, ou também quais estratégias de inovação são utilizadas. Para que todas as empresas tenham as mesmas oportunidades, o selo é concedido em três categorias: para empresas até 50 funcionários, 51 a 200 funcionários e mais de 200 funcionários.

 

O fabricante de máquinas-ferramenta de Reutlingen adotou modernos processos de tomada de decisão: hierarquias planas e funcionários que estão ativamente envolvidos nos processos. “Dessa forma, as pessoas realmente apoiam uma decisão”, diz o CEO da B+W, Olaf Furtmeier. Muitos treinamentos e discussões foram necessárias para a transição para esse processo inovador de tomada de decisão. “Nossa cultura permite erros, desde que você aprenda com eles”, complementa Furtmeier.

 

Entre as inovações, os destaques foram o processo de desenvolvimento da Linha de Centros de Usinagem Horizontais MCC – em parceria com o departamento de engenharia de produtos da Romi no Brasil – e o desenvolvimento de conteúdos e tecnologia para utilização dos óculos de realidade virtual na manutenção de seus produtos.

PRÊMIO – Desde 1993, a Compamedia concede o selo Top 100 de inovação para empresas de médio porte. A gestão científica está nas mãos do prof. dr. Nikolaus Franke que é o fundador e membro do conselho do Instituto de Empreendedorismo e Inovação da Universidade de Economia e Negócios de Viena. O mentor do Top 100 é o jornalista científico Ranga Yogeshwar e os parceiros do projeto são a Sociedade Fraunhofer para a Promoção da Pesquisa Aplicada e a BVMW.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados