Metal Mecânica

Informa Markets movimenta R$ 7 bilhões no Brasil em 2019

A Informa Markets encerrou o ano de 2019 com crescimento de 7,5% em sua receita no Brasil. A empresa, maior organizadora de eventos do país e do mundo, é responsável por movimentar, sozinha, cerca de R$ 7 bilhões a partir das suas feiras, e prevê um novo período de avanço para 2020, quando a perspectiva de crescimento fica entre 7% e 8%. É importante destacar que o crescimento de 2018 para 2019 deve ao maior movimento nos eventos já existentes, pois não houve no país ampliação no portfólio da companhia.

 

“Tivemos um 2019 muito bom, com resultados superiores aos da economia nacional que cresceu 1%, por exemplo. Nosso modelo de negócios responde muito rápido à melhora nas perspectivas e temos sentido um clima de otimismo no mercado que vem impactando positivamente nossos resultados”, comenta Marco Basso, presidente da Informa Markets. Prova disso é a Informa Markets já ter comercializado 75% das áreas das suas feiras de 2020 até o fim do mês de janeiro. Além disso, alguns eventos do primeiro semestre já contam com 100% dos espaços vendidos.

 

Segundo Marco Basso, dentre os mercados que mais devem se desenvolver em 2020 estão os de bens de capital, como o de máquinas e ferramentas, e o de infraestrutura e construção. “Isso se deve principalmente à retomada da economia, que vai intensificar as demandas do setor de infraestrutura e a necessidade de atualização do parque fabril brasileiro, que já tem uma idade avançada e precisa se atualizar para concorrer internacionalmente, especialmente agora com uma política econômica mais liberal”, explica o presidente da Informa Markets.

 

Com mais de 30 eventos em seu portfólio, a Informa Markets atua em mercados estratégicos para a economia nacional como Agronegócio, Energia, Saúde, Alimentos e Bebidas, Máquinas e Equipamentos, dentre outros. São indústrias altamente representativas na economia brasileira e que contam diretamente com a atuação da empresa na geração de negócios, networking, inteligência de mercado e soluções digitais. Somente em 2019, mais de 750 mil pessoas visitaram os eventos da Informa Markets, número que deve ultrapassar os 900 mil em 2020.

 

INVESTIMENTO NO DIGITAL – Referência em soluções digitais para os mercados em que atua, a Informa Markets deve continuar investindo e crescendo nesse segmento em 2020. No ano passado, a empresa registrou um avanço de 24% nas soluções desse segmento e deve fechar este ano também com crescimento de dois dígitos.

 

De acordo com o presidente da Informa Markets, a estratégia de atuar no segmento digital surgiu de uma demanda do mercado que precisava se conectar com seus parceiros e clientes todos os dias do ano e não somente durante os eventos. “As soluções digitais agregam mais valor ao nosso negócio uma vez que conseguimos entregar propostas dinâmicas, conteúdos relevantes e ainda mais oportunidades de negócios aos clientes”, finaliza o executivo.

 

A Informa Markets conta atualmente com 14 canais digitais, que possuem mais de 18,5 milhões de visualizações e 6 milhões de usuários.

 

CORONAVÍRUS – Rebatizado de Covid-19, o surto do novo coronavírus traz reflexos negativos no segmento de eventos especialmente na China e outros países Ásia. Calcula-se que mais de uma dúzia feiras de negócios e congressos já foram adiados.

 

Aliás, o surto do Covid-19 preocupa até os organizadores do maior evento esportivo do mundo, as Olimpíadas de 2020, previstas para serem realizadas de 24 de julho a 9 de agosto, em Tokyo, no Japão. “Estou extremamente preocupado que essa doença infecciosa possa ser um banho de água fria no entusiasmo rumo aos jogos”, declarou à imprensa Toshiro Muto, executivo-chefe do comitê organizador das Olimpíadas de Tokyo. Já o primeiro ministro japonês, Shinzo Abe, garantiu que os jogos serão realizados conforme planejado.

 

Em que pese o clima de apreensão, especialmente na Ásia, no Brasil, até o momento, não se nota, por enquanto, reflexos no mercado de eventos, de acordo com Basso. De acordo com o executivo, há que se esperar para ver como coronavírus se desenvolve, mas os eventos de negócios em geral estão relativamente pouco expostos, seja do ponto de vista da visitação como dos expositores. A maior parte dos visitantes das feiras é do Brasil, da América Latina e da Europa. Algumas feiras podem sofrer impacto, caso expositores oriundos da China sofram algum impedimento. Como se sabe há várias cidades que estão bloqueadas na China na tentativa de conter o alastramento do Covid-19.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados