Metal Mecânica

Mercado de reposição de peças automotivas segue em expansão no Brasil

De olho na expansão global, e especialmente no crescimento em regiões estratégicas no mundo, o The NPD Group inicia este ano o monitoramento do mercado de distribuição de autopeças no Brasil. O serviço já monitora as vendas das principais empresas distribuidoras do país, que representam aproximadamente 20% do faturamento do setor, e o painel que fornece dados de vendas em 14 categorias e 81 sub-categorias, totalizando mais de 400 marcas e 160 mil SKUs.

“Esse é o primeiro serviço que monitora o mercado de reposição de peças no segmento B2B no Brasil”, destaca José P. Guedes, presidente do The NPD Group no Brasil. “Até agora, não havia nenhuma fonte de informações disponíveis sobre o tamanho, o crescimento ou a participação de mercado. Todos esses dados são fundamentais para que fabricantes, distribuidores e varejistas tomem decisões de forma mais assertiva em seus de negócios”, completa.

O monitoramento inédito Painel de Distribuidores de Autopeças NPD aponta que as principais empresas do setor faturaram no ano passado R$ 1,942 bilhão, o que representa uma alta de 7,3% em relação a 2017, quando fechou em R$ 1,81 bilhão. O ranking das peças mais vendidas é liderado pela categoria de transmissão (28,9%), seguida por freios e suspensão (13,6%) e peças e componentes de motor (13,23%). O ranking ainda informa o crescimento das categorias de filtros (9,75%) e arrefecimento (8,2%).

Em valores, a categoria de transmissão representou R$ 562,3 milhões do faturamento do setor, seguida por freios (R$ 264,3 milhões) e peças de motor e componentes (R$ 263,8 milhões), que tiveram alta, respectivamente, de 5,7%, 9,4% e 13,4% em relação à 2017. As categorias que tiveram as maiores altas de preços foram os elétricos rotativos (16%), transmissão (14,7%), químicos de desempenho (11%), freios (10,5%), juntas (9,4%) e peças e componentes de motor (8,8%). Somente as categorias de suspensão e direção tiveram redução nos preços em 2018, respectivamente, de -0,6% e -2%, segundo o monitoramento.

O ritmo de crescimento no primeiro bimestre de 2019 foi mantido, chegando a 9,6% (R$ 345 milhões em 2019, contra R$ 314 milhões em 2018), com destaque para as categorias de transmissão e suspensão, que tiveram um aumento nas vendas de, respectivamente, de 8,3% (R$ 97,6 milhões) e 14,6% (R$ 49,6 milhões). Em unidades, as vendas em janeiro e fevereiro últimos tiveram um incremento de 2,6% sobre o mesmo período de 2018 (passando de 8.691 para 8.916). No ano passado, o desempenho do bimestre havia registrado um saldo negativo de -0,4% (de 52.443 para 52.658).

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo