Eletrônica e Informática

Mercado global de PCs tradicionais cresce no terceiro trimestre

As remessas globais de PCs tradicionais, que compreendem desktops, notebooks e workstations, atingiram 70,4 milhões de unidades no terceiro trimestre de 2019, segundo dados preliminares do relatório Worldwide Quarterly Personal Computing Device Tracker, produzido pela International Data Corporation (IDC). A demanda do segmento comercial, combinada com as tensões entre Estados Unidos e China, fez o mercado avançar, resultando no segundo trimestre de crescimento consecutivo. Em relação ao terceiro trimestre de 2018, o crescimento foi de 3%.

“Com as tarifas mais elevadas no horizonte, os fabricantes de PCs novamente começaram a forçar estoques adicionais durante o trimestre, embora o processo tenha sido um pouco mais difícil pelas restrições de fornecimento da Intel, deixando mais espaço para a AMD crescer”, afirma Jitesh Ubrani, gerente de Pesquisa para Mobile Device Trackers da IDC. “As tensões comerciais também estão levando a mudanças na cadeia de suprimentos, porque a maior parte dos fabricantes de notebooks está agora preparada para mudar sua produção em outros países da Ásia, como Taiwan e Vietnã”, complementa.

“A demanda comercial deve acelerar porque as empresas trabalham para encerrar o que resta para a migração para o Windows 10”, acrescenta Linn Huang, vice presidente de pesquisa Devices & Displays. “O número de meses até a data do fim do serviço – end of service (EOS) – do Windows 7 pode ser contado nos dedos de uma mão. Com 14 de janeiro de 2020 se aproximando, o mercado comercial deve ser capaz de digerir o estoque extra nos próximos trimestres. As restrições de fornecimento podem surgir nos trimestres subsequentes, portanto, o excesso pode não ser uma posição ruim para o estoque dos canais durante o restante do ano.”

DESTAQUES REGIONAIS – As remessas de PCs tradicionais na região Ásia/Pacífico (excluindo o Japão) apresentaram queda na comparação anual, mas o mercado apresentou desempenho acima das expectativas. A demanda de retorno às aulas foi o principal fator que impulsionou o consumo na China, enquanto as vendas online e os preparativos para festa religiosa Diwali deram suporte para o consumo na Índia. Os dois maiores países da região superaram as projeções anteriores de consumo. Ao mesmo tempo, a demanda do segmento comercial na China apresentou queda, conforme era esperado, por conta das pressões macroeconômicas.

No Canadá, o desempenho do mercado de PCs tradicionais foi levemente acima das expectativas. Foi o décimo terceiro trimestre consecutivo de crescimento. O mercado canadense está se tornando cada vez mais solidificado e os 5 principais vendedores detêm mais de 85% de todas as remessas.

Na região Europa, Oriente Médio de África, o mercado de PCs tradicionais obteve crescimento estável no terceiro trimestre, com desktops e notebooks tendo um bom desempenho. A transição para o Windows 10 se mostra como um forte condutor de negócios para a área comercial, compensando o fraco mercado de consumo e os impactos negativos da escassez de componentes.

No Japão, tanto o mercado comercial como o de consumo superaram muito as projeções, com a migração para o Windows 10 e o aumento dos impostos – no Japão, desde 1° de outubro o imposto sobre o consumo aumentou de 8% para 10%. As remessas comerciais estabeleceram um novo recorde para o terceiro trimestre, superando o volume de 2013, quando o fim dos serviços para o Windows XP criou um ambiente similar no mercado de PCs comerciais.

Na América Latina, o desempenho de mercado de PCs tradicionais mostrou-se muito próximo das expectativas, com queda de 4,1% na comparação ano a ano.

Durante o período, as remessas de desktops mostraram superiores às esperadas, principalmente devido ao segmento de grandes empresas e verticais, como banking, varejo e manufatura. As remessas de notebooks também caíram devido ao fraco mercado de consumo e atrasos em alguns acordos educacionais.

O mercado dos Estados Unidos experimentou um crescimento de um dígito baixo no terceiro trimestre, com expansão tanto desktops como notebooks na comparação ano a ano. A redução dos estoques continua a ser suportada pelo final dos serviços para o Windows 7 e a continuada tensão da guerra comercial. Como a maior parte das tarifas da “Lista 4”, que prevê o aumento de impostos sobre produtos de fabricação chinesa foi adiada para o final do ano, a redução dos estoques foi levemente inferior em comparação ao trimestre imediatamente anterior.

Pesquisa recente feita entre os tomadores de decisão de TI indica que mais de 60% das empresas já fizeram a transição do Windows 7 para Windows 10. Outros 13% pretendem fazer próximo à data do final dos serviços para Windows 7 em janeiro de 2020.

FABRICANTES – Perto de 1 a cada 4 PCs com remessas feitas no terceiro trimestre eram da Lenovo ou de uma de suas subsidiárias. A companhia mais uma vez manteve na primeira posição do mercado. O forte impulso da companhia nas regiões Europa, Oriente Médio e África e Japão, junto com sua notável presença comercial, ajudou a consolidar a posição de liderança no trimestre.

A HP Inc. ficou com a segunda posição, próxima da líder, com a remessa 16,8 milhões de PCs no trimestre e o mais rápido crescimento ano a ano entre as cinco maiores empresas. A linha de notebooks da companhia mostrou-se forte com crescimento de 10% ano a ano, bem superior ao crescimento médio de 4% para notebooks.

A Dell Technologies aparece em terceiro do ranking, com a remessa de 12,1 milhões de unidades e crescimento de 5,3% em relação ao ano anterior. Com forte portfólio centrado em produtos de uso comercial e saudável negócio para gamers ajudaram a companhia a manter seu crescimento ano a ano.

A Apple atualizou suas linhas MacBook Air e Pro e se beneficiou da temporada de volta às aulas, obtendo crescimento de 21% em relação ao segundo trimestre de 2019. No geral, a empresa lutava para manter a dinâmica positiva, pois enfrentava restrições de suprimento.

O Acer Group completou a lista das cinco maiores empresas, embora tenha sofrido a maior queda entre as top 5. A escassez de processadores Intel impactou a companhia embora continue como uma das grandes forças no segmento gamer e Chromebook.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo