Metal Mecânica

Micro e pequenas indústrias de SP terão um final de ano difícil

Os últimos meses de 2020 revelam um cenário difícil para as quase 80% de micro e pequenas indústrias com problemas de acesso ao crédito, apesar da expectativa de retomada em diversos segmentos da economia ainda este ano. A consequência é a queda considerável no capital de giro e o aumento na demanda de cheque especial, além de demissões, ações de recuperação judicial e até falências. Os dados são do 14º Boletim de Tendências das Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo, realizado pela Datafolha, a pedido do Sindicato de Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo (Simpi).

Historicamente, o final do ano representa melhora para a produção industrial, mas os números da pesquisa revelam uma tendência de piora. Atualmente, 38% das micro e pequenas indústrias registram capital de giro insuficiente, o cenário é mais crítico na região metropolitana de São Paulo. Apenas 9% dos empresários consultados estão em situação confortável. Para honrar seus compromissos, uma parcela considerável (27%) recorre ao cheque especial.

 

PRODUÇÃO – Problemas no fornecimento de matéria-prima e insumos, como preços altos (87%), queda na qualidade (28%), atraso na entrega (68%) e até falta de estoque (70%) também integram o quadro de problemas das micro e pequenas indústrias paulistas. Por conta disso, a produção teve queda registrada para 24% dos entrevistados.

 

SITUAÇÃO FINANCEIRA – O impacto negativo da crise do novo coronavírus nas micro e pequenas indústrias ficou estável em relação ao último levantamento. Para uma em cada cinco (20%) a situação financeira é considerada péssima. Para outras 35% a avaliação é positiva, no entanto apresenta queda em relação ao início de outubro. Em 45% dos casos, o cenário é regular.

 

RISCO DE FALÊNCIA – O cenário ruim também pode ser mensurado pelo risco de falência e perda de clientes das MPI’s, já que 73% dos entrevistados afirmaram que fornecedores e clientes empresariais faliram ou entraram em recuperação judicial. Maior índice desde junho.

Ainda de acordo com o levantamento, 29% das micro e pequenas indústrias operam hoje com menos funcionários do que no início da pandemia, maior índice de demissões é na região metropolitana. E 6% dos empresários consultados estão na iminência de falir nos próximos 30 dias.

A cada 15 dias, o Datafolha, a pedido do Simpi, realiza o boletim de Tendências das Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo, trazendo um panorama da categoria econômica durante a pandemia do novo coronavírus. A coleta de dados ocorreu entre os dias 22 a 30 de outubro de 2020.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo