Metal Mecânica

Navio cargueiro com velas pode ter economia média de até 30% de combustível

O Pyxis Ocean, da Mitsubishi Corporation e fretado pela Cargill, é o primeiro navio a ser readaptado com duas WindWings, grandes velas de até 37,5 m de altura que podem ser instaladas no convés de navios cargueiros para aproveitar a energia eólica. Produzidas pelo parceiro de industrialização, Yara Marine Technologies, é esperado que gerem economia média de combustível de até 30% em embarcações novas, o que pode ser ainda maior se utilizado em combinação com combustíveis alternativos. A instalação das velas ocorreu no estaleiro Cosco na China e o Pyxis Ocean está agora em águas marítimas, realizando sua viagem inaugural.

“O setor naval está em uma jornada para descarbonizar, o que não é fácil, mas animador”, disse Jan Dieleman, presidente da Unidade de Transporte Naval da Cargill. “Na Cargill, temos a responsabilidade de ser pioneiros em soluções de descarbonização em todas as nossas cadeias de fornecimento para satisfazer às necessidades de nossos clientes e do planeta. Uma tecnologia como WindWings não vem sem riscos e, como líder do setor, em parceria com o visionário armador Mitsubishi Corporation, não temos medo de investir, assumir estes riscos e ser transparentes com nossas aprendizagens para ajudar nossas parcerias na transição naval a um futuro mais sustentável.”

A instalação demonstra uma transformação radical nas atitudes quanto às tecnologias que podem permitir uma transição energética para embarcações existentes. O projeto WindWings, financiado conjuntamente pela União Europeia como parte da iniciativa CHEK Horizon 2020, pode ajudar o setor a alcançar estes objetivos, ao oferecer uma solução de modernização capaz de descarbonizar os navios existentes, o que é sobretudo relevante, já que 55% das frotas de graneleiros do mundo têm até nove anos de uso.

O desempenho dos WindWings será monitorado de perto nos próximos meses para aprimorar ainda mais seu projeto, operação e desempenho, visando que o Pyxis Ocean seja utilizado para informar a ampliação e a adoção não apenas na frota da Cargill, mas também no setor. A Bar Technologies e a Yara Marine Technologies já estão planejando construir centenas de velas nos próximos quatro anos, sendo que a Bar Technologies também está pesquisando novas construções com aperfeiçoamento das formas hidrodinâmicas de cascos.

“Se a navegação internacional deseja conquistar sua ambição de reduzir emissões de CO2, a inovação deve vir à tona. O vento é um combustível quase marginal e sem custos, e a oportunidade de reduzir emissões, junto com ganhos significativos de eficiência em custos operacionais dos navios, é substancial. Hoje é o ponto culminante de anos de pesquisas pioneiras, onde investimos em nossa tecnologia exclusiva de velas eólicas e buscamos um parceiro de industrialização qualificado na Yara Marine Technologies, a fim de oferecer aos proprietários e operadores de embarcações a oportunidade de conseguir estas eficiências”, diz John Cooper, diretor executivo da BAR Technologies.

O projeto WindWing faz parte de um projeto que recebeu financiamento do programa de pesquisa e inovação Horizon 2020 da União Europeia sob o contrato de concessão nº 955286. Ao aproveitar a energia eólica, as WindWings podem ajudar os proprietários de navios a cumprir as novas regras do CII. Como esta energia não é apenas emissão zero, mas também não se esgota, sendo extremamente previsível, ela proporciona ganhos significativos de eficiência em custos operacionais da embarcação.

Em uma rota internacional média, as WindWings podem poupar 1,5 toneladas de combustível por WindWing ao dia, com a possibilidade de poupar mais em rotas transoceânicas. Isto pode significar que os proprietários de navios economizam óleo combustível pesado (HFO) equivalente a 800 dólares canadenses por tonelada, o que irá se tornar ainda mais importante ao economizar em futuros combustíveis que, sem dúvida, irão custar muito mais. (foto/divulgação).

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo