Eletrônica e Informática

Primeiro computador comercial da história chegou há 70 anos

Era 31 de março de 1951, quando o Departamento de Censo dos Estados Unidos recebeu Univac I, o primeiro computador comercial da história. Do tamanho de um armário, pesava 13 toneladas e custava entre 1,25 e 1,5 milhão de dólares.

A história desse equipamento segue em franca evolução e a demanda não para de crescer. Mesmo na pandemia de Covid-19, a procura aumenta. Segundo o Financial Times, as vendas de computadores expandiram quase 5% em 2020, com mais 275 milhões de unidades vendidas, o número mais alto dos últimos 10 anos.

No dia 31 de março de 1951, há 70 anos, os engenheiros J. Presper Eckert e John Mauchly entregaram o Univac I (Universal Automatic Computer I) ao Departamento do Censo dos Estados Unidos para permitir o monitoramento do chamado baby boom, o aumento substancial da população que se verificou nos Estados Unidos no início da década de 1950. Foi colocado em funcionamento no dia 14 do mês de junho seguinte, e foram vendidas 46 unidades a algumas empresas e ao governo dos EUA. Além do Departamento do Censo dos Estados Unidos, o Univac foi adquirido pela General Electric, uma privada que pretendia utilizar o computador na sua fábrica de eletrodomésticos em Louisville para a gestão dos salários e do sistema de controle de inventário dos armazéns.

O que tem esta invenção de extraordinário? Talvez o seu preço de venda – entre 1,25 e 1,5 milhões de dólares – ou o fato de ter o tamanho de um armário com um peso total de 13 toneladas. Contudo, a verdadeira novidade reside no fato de o computador ser utilizado para processar dados pela primeira vez na história, e não apenas para realizar equações e cálculos complexos, que era a sua função principal até aquele momento. O termo “automático” também foi utilizado pela primeira vez: todos os dados, tanto números como letras, eram armazenados e lidos por uma unidade de fita metálica, sem a necessidade de introduzir programas manualmente. Uma ferramenta completamente inovadora e visionária que o New York Times definiu como “Um gênio matemático com 2,43 m de altura”, capaz de registrar e classificar um cidadão médio com base no gênero, no estado civil, na educação, na residência e em outras informações num sexto de segundo.

Mas o que mudou no processamento comercial de dados em 70 anos? Pode dizer-se que, pela primeira vez na história, um computador antecipou a evolução daquilo que viria a chamar-se “integração de dados”. Trata-se de um processo complexo de assimilação, mapeamento, movimentação e transformação de dados que é necessário para garantir o seu processamento e funcionamento.

Atualmente, a digitalização levou a um crescimento exponencial da quantidade de dados que as empresas têm de gerir com a máxima eficiência e rapidez. Passamos de um computador enorme para software que permite gerir os dados de forma intuitiva, dinâmica e segura.

Entre estas soluções de software estão as oferecidas pela Primeur, multinacional europeia especializada em integração de dados, que fornece ferramentas de gestão de dados a empresas nacionais e internacionais há mais de 30 anos. “Em 70 anos, a tecnologia chegou muito longe. O Univac I foi certamente o precursor de um movimento que hoje em dia é fundamental para gerir as operações de grandes empresas no setor público e privado”, diz Paloma Hernández, CEO da Primeur Espanha e América Latina. “Uma gestão de dados mais otimizada significa um aumento da produtividade, do tempo até a comercialização e do serviço global de uma empresa, bem como escolhas mais precisas e rápidas ao nível da gestão empresarial.”

Apesar das dificuldades encontradas pelos dois cientistas na construção do Univac I, este trabalho lhes trouxe grande satisfação e os levou a bater alguns recordes. Em 4 de novembro de 1952, um computador conseguiu prever a vitória de Dwight D. Eisenhower nas eleições presidenciais com uma margem de erro de 1% pela primeira vez na história. A partir desse momento, os americanos tomaram realmente consciência da importância tecnológica desta máquina, de tal modo que o Univac se tornou a palavra mais comum utilizada para se referirem aos computadores.

O Univac I não foi o único projeto dos cientistas Presper Eckert e John Mauchly: alguns anos antes, em 1946, haviam criado o Eniac (Electronic Numerical Integrator and Calculator), o primeiro computador eletrônico e de grande escala da história. O projeto foi confiado aos dois cientistas pelo US Army Ordnance Department, que precisava de uma ferramenta capaz de resolver os problemas de cálculo das curvas balísticas das ogivas de artilharia. Diferente do Univac, este primeiro computador ocupava uma área de 180 metros quadrados e pesava cerca de 30 toneladas. Além do seu tamanho considerável, o Eniac consumia até 150 quilowatts de energia – quando foi colocado em funcionamento pela primeira vez, causou um apagão geral no distrito oeste de Filadélfia.

Desde os tempos em que custavam 1 milhão de dólares e pesavam 13 toneladas, os computadores evoluíram enormemente e podemos agora encontrá-los em todas as casas e escritórios do mundo,tendo revolucionado a forma como as pessoas vivem e trabalham.

No último ano, a pandemia motivou o aumento significativo da venda de computadores, tendo registrado o maior crescimento da última década em âmbito global. Segundo o Financial Times, de acordo com um estudo da Gartner, no último trimestre de 2020 foram enviados 79,4 milhões de unidades de computadores para todas as partes do mundo, um aumento de 10,7% em relação ao ano anterior, ao mesmo tempo que se verificou um crescimento anual de 4,8% em relação a 2019, com mais 275 milhões de unidades vendidas, o valor mais alto já registrado desde 2010. Já a IDC registrou 303 milhões de unidades vendidas, com um crescimento de 13,1% em 2020, ao passo que a Canalys informou que, no último ano, as vendas aumentaram em 11% e atingiram os 297 milhões de unidades.

A seguir, 10 fatos interessantes sobre o Univac:

  1. J. Presper Eckert e John Mauchly acabaram à beira da falência. O financiamento do Departamento do Censo foi de apenas 400.000 dólares, ao passo que o custo total do projeto e construção do Univac I chegou perto de 1 milhão de dólares.

 

  1. O preço de venda do primeiro computador comercial foi de 1,25 a 1,5 milhões de dólares.

 

  1. O Departamento do Censo dos Estados Unidos o utilizou pela primeira vez para monitorar o chamado baby boom, o aumento substancial da população que se verificou nos Estados Unidos na década de 1950.

 

  1. A General Electric foi a primeira empresa privada a utilizar o Univac I para a gestão de salários e do sistema de controle de inventário dos armazéns da sua fábrica de eletrodomésticos.

 

  1. Foi o primeiro computador da história a prever uma vitória nas eleições presidenciais. Em 4 de novembro de 1952, previu a vitória do presidente Dwight D. Eisenhower com uma margem de erro de 1%.

 

  1. O Univac I foi o primeiro computador da história a ser utilizado para o processamento de dados, sendo capaz de armazenar tanto números como letras automaticamente.

 

  1. Utilizava 5.200 válvulas, todas instaladas no processador.

 

  1. Pesava 13 toneladas, consumia 125 kW de energia e funcionava a uma velocidade de 2,25 MHz.

 

  1. Conseguia realizar 455 multiplicações por segundo e permitia armazenar até 1000 strings na sua memória de mercúrio.

 

  1. Cada elemento da memória conseguia armazenar duas instruções, um número de 11 dígitos mais sinais ou 12 caracteres alfabéticos. (foto/reprodução)

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo