Artigos e Cases

Principais tendências no mercado de siderurgia e mineração

Vinicius Callegari (*)

 

Parece que a crise econômica acabou para o setor de siderurgia e mineração. A retomada da economia nacional e global tem impulsionado esse cenário, com grandes expectativas de avanços. Segundo dados do Ibovespa, mais importante indicador do desempenho médio das cotações das ações negociadas na B3 – Brasil, Bolsa, Balcão – no começo de 2021, as ações da Gerdau e da CSN, por exemplo, avançaram 19%, as da Usiminas apresentaram ganho de 11% e as da Vale cresceram mais de 12%.

Além disso, a exportação de aço e minério, a taxa Selic – que atualmente é a menor da história – e o dólar valorizado, têm sido fatores favoráveis se somados ao disparado preço do ferro, o que deixa muitos atuantes da área animados. Porém, o grande desafio ainda é conseguir um aumento da produtividade no setor para que as empresas que fazem parte deste ecossistema consigam se manter mais competitivas no mercado. E para isso, investir em tecnologia se torna uma ação primordial para ajudar nessa questão.

Essa aposta será um grande passo e, com certeza, o diferencial para as indústrias e suas operações como um todo. Siderúrgicas e mineradoras precisam entender, de fato, o grande potencial que essas soluções proporcionam para a produção, operação e logística, pois atuam diretamente na diminuição de custos que, consequentemente, impactam diretamente no valor do produto final.

A adoção de ferramentas tecnológicas beneficia não só as empresas, mas também o dia a dia de muitos profissionais, automatizando processos, centralizando – por meio do IoT, geoprocessamento e telemetria avançada – toda a gestão de logística inbound de máquinas pesadas, entre outras atividades. Além disso, soluções de medição automatizada e compliance podem ser utilizadas neste contexto, garantindo mais transparência e máxima produtividade na gestão dos contratos com os operadores logísticos.

Por outro lado, não esqueçamos que as novas tecnologias devem vir acompanhadas de uma mudança cultural em todos os elos da organização, de baixo para cima. Precisamos de pessoas abertas a mudar processos, e desafiar o status quo. Pessoas preparadas e tecnologia de ponta são a combinação perfeita para tornar a logística inbound, das indústrias de base mais competitivas.

O ano de 2021, sem dúvidas, será de bastante esperança e otimismo para muitos segmentos. E para nós, da siderurgia e mineração, não será diferente. O momento agora é de definir planos estratégicos, metas a serem alcançadas e colocar a mão na massa. O cenário está favorável, então cabe a nós sermos ousados e aproveitarmos da melhor forma as oportunidades para conquistarmos resultados satisfatórios.

_______________________________________

(*) O autor é CCO e Head de Desenvolvimento Comercial da GaussFleet.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo