Metal Mecânica

Produção brasileira de aço bruto tem queda de 14,3% até abril

No mês de abril, a produção de aço caiu caiu 32,7% e as vendas internas 34,4% em relação ao mês de março. O consumo aparente de aço sofreu queda de 31% e as exportações de 36,5%, em função das condições adversas do mercado internacional, segundo dados divulgados pelo Instituto Aço Brasil.

 

“Esses dados demonstram a gravidade da crise de demanda que a indústria de aço está enfrentando, o que a levou a operar com apenas 42,2% de sua capacidade instalada, quando deveria estar operando acima de 80%”, diz Marco Polo de Mello Lopes, presidente executivo do Instituto Aço Brasil.

 

A indústria de transformação vive situação semelhante, fruto das necessárias medidas de isolamento social tomadas para enfrentamento da pandemia. “A manutenção, entretanto, dessa situação, sem que ocorram flexibilizações, levará a novas paralisações de equipamentos, fechamento de plantas e ao consequente aumento do desemprego. Cabe ressaltar que a indústria brasileira do aço entende que a flexibilização deve ser feita com base em protocolos de segurança que protejam a população, tendo como prioridade absoluta a saúde”, afirma Lopes.

 

O Índice de Confiança da Indústria do Aço do mês de maio, que retrata a situação que vive o setor. “O Icia, que atingiu o índice de 26,9 pontos indica que os CEO´s do setor continuam sem confiança tanto sobre a situação atual quanto as expectativas para os próximos meses”, finaliza Marco Polo.

 

QUADRIMESTERE – A produção brasileira de aço bruto alcançou 10 milhões de toneladas nos quatro primeiros meses de 2020, o que representa uma queda de 14,3% frente ao mesmo período do ano anterior. A produção de laminados no mesmo período foi de 7,1 milhões de toneladas, queda de 9,3% em relação a 2019. A produção de semiacabados para vendas totalizou 2,7 milhões de toneladas no acumulado de 2020, uma queda de 13,2% na mesma base de comparação.

 

As vendas internas foram de 5,6 milhões de toneladas de janeiro a abril de 2020, o que representa uma queda de 9,5% quando comparada com igual período do ano anterior.

 

O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos foi de 6,2 milhões de toneladas no mesmo período, o que representa uma queda de 9,4% frente aos primeiros quatro meses de 2019.

 

As importações alcançaram 705 mil toneladas no acumulado do primeiro quadrimestre de 2020, caindo 17,8% frente ao mesmo período do ano anterior. Em valor, as importações atingiram US$ 745 milhões, uma queda de 13,4% no mesmo período de comparação.

 

As exportações atingiram 4,1 milhões de toneladas e US$ 2,1 bilhões de janeiro a abril de 2020. Esses valores representam, respectivamente, uma queda de 5,1% e de 17,5% na comparação com o mesmo período de 2019.

 

ABRIL – Em abril de 2020 a produção brasileira de aço bruto foi de 1,8 milhão de toneladas, uma queda de 39% frente ao mesmo mês de 2019. Já a produção de laminados foi de 1,2 milhão de toneladas, 36,6% menor do que a registrada em abril de 2019. A produção de semiacabados para vendas foi de 599 mil toneladas, representando queda de 23,8% em relação ao mesmo mês de 2019.

 

As vendas internas recuaram 35,6% frente a abril de 2019, atingindo 976 mil toneladas. O consumo aparente de produtos siderúrgicos foi de 1,1 milhão de toneladas, 34,6% abaixo do apurado no mesmo período de 2019.

 

As importações de abril de 2020 foram de 186 mil toneladas e US$ 182 milhões, o que resulta uma queda de 24,0% em quantum e de 19,8% em valor na comparação com o registrado em abril de 2019. As exportações foram de 883 mil toneladas e US$ 481 milhões, o que significa queda de 17,0% e de 21,9%, respectivamente, na comparação com o mesmo mês de 2019.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo